Publicidade

Correio Braziliense

Lideranças do Congresso têm evento sobre segurança na fronteira na Casa Branca

O governo norte-americano está paralisado desde dezembro, já que os democratas não apoiam o desejo de Trump de construir o muro na fronteira com o México


postado em 02/01/2019 08:32 / atualizado em 02/01/2019 08:54

 

Líderes democratas e republicanos no Congresso dos Estados Unidos devem ir nesta quarta-feira (2/1)a um evento sobre segurança na fronteira na Casa Branca. O evento ocorre em meio a um impasse sobre o tema, que provocou a paralisação parcial do governo (shutdown), enquanto o presidente Donald Trump tem defendido um acordo, mas não abre mão de conseguir verba para a construção de um muro na fronteira com o México.


A paralisação parcial do governo começou em 22 de dezembro, já que os democratas não apoiam o desejo de Trump de construir o muro. O briefing na Casa Branca está marcado para 18h (de Brasília, 15h de Washington) de hoje. Nesta quinta-feira, os democratas assumem o controle da Câmara dos Representantes, enquanto o Senado continuará sob poder dos republicanos.

A agenda exata do evento de hoje não estava disponível, segundo uma fonte ligada ao tema. O líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell, e outros importantes republicanos que assumem seus mandatos amanhã na Câmara devem estar presentes. O líder da minoria democrata no Senado, Chuck Schumer, e a líder democrata na Câmara, Nancy Pelosi, que deve se tornar presidente da Câmara na quinta-feira, também devem estar presentes. Pelosi afirmou na terça-feira que os democratas devem adotar medidas para acabar com o "shutdown" ao aprovar legislação já nesta quinta-feira para reabrir o governo. Segundo ela, caso os republicanos no Senado rejeitem a legislação, eles serão "cúmplices no caos e na destruição do terceiro shutdown do presidente neste mandato".

Os democratas na Câmara planejam reabrir o governo sem aprovar verba para a construção do muro na fronteira. Respondendo ao plano democrata, a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, afirmou na noite de terça-feira que ele era "um mau começo" e que assim o governo não seria reaberto, porque é necessário "garantir a segurança da fronteira". Fonte: Associated Press.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade