Publicidade

Correio Braziliense

China realiza primeiro pouso de satélite no 'lado escuro' da lua

A China foi o primeiro país a conseguir pousar do lado oposto da lua, o que segundo analistas é um sucesso tecnológico, mas também uma vitória simbólica do país onde o presidente Xi Jinping tem apoiado pessoalmente os esforços aeroespaciais


postado em 03/01/2019 08:10 / atualizado em 03/01/2019 10:36

(foto: Crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press.)
(foto: Crédito: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press.)
 

A China pousou com sucesso um satélite no "lado escuro" da lua, no mais recente marco de seu ambicioso programa espacial. A notícia impulsionou ações dos setores aeroespacial e de defesa na Bolsa de Xangai, durante o pregão asiático. O pouso do Chang'e-4 na cratera Von Kármán ocorreu na manhã da quinta-feira, hora de Pequim, informaram as agências de notícias estatais.


Após o pouso com sucesso na face oculta lunar, o satélite recolherá amostras que poderão trazer informações sobre a composição interna da lua. A China foi o primeiro país a conseguir pousar do lado oposto da lua, o que segundo analistas é um sucesso tecnológico, mas também uma vitória simbólica do país onde o presidente Xi Jinping tem apoiado pessoalmente os esforços aeroespaciais.

O Chang'e-4 começou a descida na quinta-feira (2/1) e sobrevoou a superfície lunar para garantir que seus sensores escolhessem um ponto mais macio na lua para completar o pouso. Ele foi lançado no mês passado do sudeste chinês, levando quatro dias e meio para chegar à lua.

A China pretende construir uma base lunar até 2025 e enviar um astronauta ao local até 2030. No longo prazo, o país fala em realizar mineração na lua em busca de recursos energéticos. Os EUA, por sua vez, pretendem voltar à lua por volta de 2023. Fonte: Dow Jones Newswires.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade