Publicidade

Correio Braziliense

Clínica no Equador onde morreram 18 pessoas operava sem licença

Um incêndio supostamente provocado pelos internos do centro para tratamento de dependentes deixou 18 mortos por asfixia


postado em 12/01/2019 21:50

A clínica para tratamento de dependentes químicos no Equador, onde morreram 18 pessoas em um incêndio, não tinha permissão de funcionamento, informou neste sábado o governo de Guayas (sudoeste).

"O estabelecimento operava de forma irregular, visto que sua permissão de funcionamento não tinha sido renovada", destacou o governo em um comunicado, citando a Agência de Asseguramento da Qualidade dos Serviços de Saúde e Medicina Pré-paga.

Na sexta-feira, um incêndio supostamente provocado pelos internos do centro para tratamento de dependentes deixou 18 mortos por asfixia e oito feridos. Algumas das vítimas tinham "queimaduras de alto grau de complexidade", acrescentou a entidade.

O número de internos que permanece na clínica não foi determinado, mas o governador de Guayas, Raúl Ledesma, disse na véspera que havia no local de 30 a 40 pessoas. No entanto, um sobrevivente afirmou que havia 56. Após o incêndio, as autoridades montaram uma operação e detiveram os encarregados da clínia clandestina.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade