Publicidade

Correio Braziliense

Operários são demitidos após greves em fábricas têxteis em Bangladesh

Centenas de pessoas foram demitidas após fazerem greves para pedir salários melhores


postado em 16/01/2019 14:54

Muitos funcionários voltaram no trabalho nesta quarta e descobriram que foram demitidos. (foto: AFP)
Muitos funcionários voltaram no trabalho nesta quarta e descobriram que foram demitidos. (foto: AFP)
 
Dacca, Bangladesh - Centenas de pessoas foram demitidas de fábricas têxteis que produzem para marcas ocidentais em Bangladesh após fazerem greves para pedir salários melhores, disse a polícia nesta quarta-feira (16).

Depois de uma semana de protestos e confrontos violentos, que provocaram cortes de produção em vários estabelecimentos, a situação ficou mais calma nesta segunda devido a um acordo do governo para elevar os salários.

Contudo, muitos funcionários voltaram no trabalho nesta quarta e descobriram que foram demitidos. 

Um líder sindical afirmou que pelo menos 750 trabalhadores de diversas empresas de Ashulia encontraram a notificação de sua demissão com suas fotos coladas nas portas das fábricas.  

"É injusto. Os donos fazem isso para gerar um clima de medo e para que ninguém se atreva a protestar ou exigir um salário justo", acrescentou o líder sindical, que pediu anonimato. 

"A polícia disse para eu não provocar problemas. Senão, vou desaparecer", acrescentou. 

Segundo a polícia e o diretor de uma das fábricas, 400 pessoas foram demitidas por prejudicar as instalações durante os protestos. Metade delas trabalham em uma fábrica de Ashulia chamada Metro Knitting and Dyeing.

O gerente da Metro Knitting, Atiqul Islam, explicou à AFP que a empresa denunciou quase 300 trabalhadores à polícia por destruir computadores e câmeras da fábrica. A polícia confirmou a prisão de 12 pessoas por atos de vandalismo. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade