Publicidade

Correio Braziliense

Jovem que planejava atentado à Casa Branca é preso nos EUA

Autoridades americanas prenderam homem de 21 anos que pretendia realizar um atentado suicida na Casa Branca


postado em 17/01/2019 19:16

Hasher Taheb foi preso após uma investigação de um mês do FBI (foto: Reprodução/Twitter)
Hasher Taheb foi preso após uma investigação de um mês do FBI (foto: Reprodução/Twitter)
 
Washington, Estados Unidos - Autoridades americanas prenderam um homem de 21 anos que queria comprar explosivos e um míssil antitanque para um atentado suicida "jihadista" que pretendia realizar nesta quinta-feira na Casa Branca.

Byung Pak, promotor do Distrito Norte da Geórgia, anunciou na noite de quarta-feira a prisão de Hasher Taheb, de Cumming, Geórgia, após uma investigação de um mês do FBI. 

A investigação foi aberta em consequência de uma pista que surgiu em sua comunidade, segundo a qual Taheb havia se radicalizado.

Segundo a acusação, Taheb tentou recrutar um informante e um agente encoberto do FBI para planejar o ataque à Casa Branca e outros alvos em Washington, entre eles o Monumento de Washington, o Lincoln Memorial e uma sinagoga.

Para cumprir seu "dever" da jihad e com a ideia de se tornar um "mártir", Taheb tinha previsto a princípio viajar a zonas controladas pelo Estado Islâmico no Oriente Médio, segundo contou a fonte do FBI.

Como perdeu seu passaporte, o jovem disse ao informante que era melhor se fizesse ataques dentro dos Estados Unidos.

Em 7 de dezembro de 2018 se reuniu com o agente encoberto e lhe mostrou um diagrama feito à mão da Ala Oeste da Casa Branca, onde fica o escritório do presidente.

Nas semanas seguintes Taheb detalhou quais eram as armas que queria comprar para executar seus planos e pediu ao agente do FBI que as conseguisse: armas semiautomáticas, granadas e um míssil antitanque AT-4.

O plano era que o trio lançasse o ataque, que chamou de "dia de jogo", em 17 de janeiro.

"Especificamente descreveu em seu plano que tinha que usar o AT-4 para fazer um buraco na Casa Branca para que o grupo pudesse entrar", apontou a acusação.

Taheb disse à fonte que "a jihad era a melhor façanha no Islã e o ponto máximo do Islã", acrescentou. 

Na quarta-feira os três se encontraram no estacionamento de uma loja em Buford, Geórgia, onde o agente do FBI tinha que entregar-lhe os explosivos e as armas, que foram entregues descarregadas.

Taheb foi detido quando recebeu as armas.

As autoridades não deram mais informações sobre Taheb ou se tinha estado em contato com algum grupo jihadista no exterior.

De todos os modos, Pak afirmou que nenhum dos alvos em Washington e na Geórgia estiveram realmente em perigo.

Em outro caso, um homem de 49 anos, Demetrius Nathaniel Pitts ou Abdur Raheem Rafeeq, foi detido nesta quinta-feira em um subúrbio de Cleveland, Ohio, e acusado de planejar um ataque terrorista contra a cidade em 4 de julho, o Dia da Independência.

Agentes encobertos do FBI estiveram em contato com Pitts durante meses antes de prendê-lo.

"Pitts, um cidadão americano com residência em Ohio, jurou lealdade à Al-Qaeda", apontou um comunicado do Departamento de Estado.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade