Publicidade

Correio Braziliense

Suprema Corte dos EUA discutirá porte de armas em Nova York

O porte de armas é um direito garantido pela segunda emenda da Constituição dos Estados Unidos e defendido por muitos norte-americanos


postado em 22/01/2019 18:46

Um terço dos adultos nos Estados Unidos possuem pelo menos uma arma de fogo(foto: Guns Power/Divulgação)
Um terço dos adultos nos Estados Unidos possuem pelo menos uma arma de fogo (foto: Guns Power/Divulgação)
 
Washington, Estados Unidos - A Suprema Corte dos Estados Unidos concordou nesta terça-feira (22) em abordar as restrições a armas impostas pela cidade de Nova York, questionada pelo poderoso lobby National Rifle Association (NRA).

O porte de armas é um direito garantido pela segunda emenda da Constituição dos Estados Unidos e defendido por muitos norte-americanos.

Há anos a Suprema Corte não se pronuncia sobre o assunto. Atualmente, a a maioria dos magistrados do tribunal são conservadores.

Um terço dos adultos nos Estados Unidos possuem pelo menos uma arma de fogo. 

Nos Estados Unidos, cerca de 40.000 pessoas morrem ao ano por armas de fogo, incluindo suicídios. No entanto, tentativas de regulamentação confrontaram sistematicamente o poderoso lobby da NRA e seus aliados políticos, especialmente entre os republicanos.

A NRA apoiou a ação dos proprietários de armas de Nova York que exigem que a Suprema Corte invalide as medidas restritivas da cidade.

Em nome da segurança pública, a metrópole proibiu os cidadãos de portar uma arma fora de casa, exceto para ir aos sete centros de tiro na cidade.

Embora os autores considerem que isso viola seu direito constitucional, a cidade argumentou que os tribunais lhe deram razão. 

Durante sua campanha eleitoral, o presidente Donald Trump prometeu nomear para a Suprema Corte apenas juízes que defendem o direito ao porte de armas de fogo.

Desde sua eleição, ele já nomeou dois juízes, os conservadores Neil Gorsuch e Brett Kavanaugh, cuja posição nos debates - que não são esperados antes do final do ano - será altamente antecipada.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade