Publicidade

Correio Braziliense

China exige que EUA retirem pedido de extradição de executiva da Huawei ao Canadá

A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying, disse que o caso de Meng Wanzhou era fora do comum e que o tratado de extradição do Canadá com os EUA violou a segurança, direitos e interesses legítimos dos cidadãos chineses


postado em 23/01/2019 09:55 / atualizado em 23/01/2019 10:05

(foto: Nicolas Asfouri / AFP)
(foto: Nicolas Asfouri / AFP)

A China exigiu que os Estados Unidos retirem o pedido para que o Canadá extradite a executiva Meng Wanzhou, da gigante chinesa de telecomunicações Huawei, transferindo a culpa para Washington em um caso que prejudicou as relações diplomáticas entre chineses e canadenses. 


A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Hua Chunying, disse que o caso de Meng Wanzhou era fora do comum e que o tratado de extradição do Canadá com os EUA violou a "segurança, direitos e interesses legítimos dos cidadãos chineses".

Hua disse que a China exige que os EUA retirem o mandado de prisão contra Meng e alertou Washington para não fazer um pedido formal de extradição ao lado canadense. A executiva chinesa é procurada por supostamente mentir aos bancos como parte de um esforço para escapar das sanções americanas impostas ao Irã.

As declarações de Hua vieram depois que mais de cem acadêmicos e ex-diplomatas assinaram uma carta pedindo à China que libertasse dois canadenses detidos no país asiático em aparente retaliação à prisão de Meng.

Os comentários também vêm na esteira de uma reportagem do jornal canadense Globe and Mail de que os EUA pretendem formalmente solicitar a extradição de Meng para enfrentar acusações de que ela cometeu fraude enganando os bancos sobre os negócios da Huawei no Irã.

O Departamento de Justiça dos EUA (DoJ, na sigla em inglês) disse que continua buscando a extradição de Meng e que cumprirá todos os prazos estabelecidos no tratado de extradição entre os EUA e o Canadá. Em um comunicado, o DoJ agradeceu às autoridades canadenses pelo "apoio em nossos esforços mútuos para fazer cumprir o estado de direito". Fonte: Associated Press.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade