Publicidade

Correio Braziliense

China denuncia manipulações políticas do caso Huawei nos EUA

Os EUA acusam duas filiais da Huawei, principalmente de associação criminosa para roubar segredos industriais, inclusive, a tecnologia de celulares da americana T-Mob


postado em 29/01/2019 09:11

(foto: Nicolas Asfouri / AFP)
(foto: Nicolas Asfouri / AFP)

A China acusou os Estados Unidos de manipulações políticas no caso Huawei, depois que Washington anunciou acusações contra o grupo chinês de telecomunicações e sua diretora financeira, que está detida no Canadá.

"Estados Unidos usam o poder do Estado para desacreditar e atacar determinadas empresas chinesas, em uma tentativa de estrangular suas operações, que são legítimas e legais", afirmou em um comunicado Geng Shuang, porta-voz do ministério chinês das Relações Exteriores. "Por trás disto há fortes observações políticas, manipulações políticas", completou. 

O Departamento de Justiça americano anunciou na segunda-feira 13 acusações, relacionadas com violações das sanções dos Estados Unidos contra o Irã, contra o grupo chinês e sua diretora financeira Meng Wanzhou, detida no Canadá em dezembro a pedido de investigadores americanos. 

De modo paralelo acusou duas filiais da Huawei, principalmente de associação criminosa para roubar segredos industriais ou, inclusive, a tecnologia de celulares da americana T-Moble. 

A Huawei rejeitou as acusações da justiça americana contra a empresa e negou qualquer roubo de tecnologia ou violação das sanções contra o Irã.

"A Huawei está decepcionada por tomar conhecimento das acusações contra a empresa", anunciou o grupo. 

"A empresa desmente que ela ou uma de suas filiais tenha cometido as supostas violações da lei americana citadas em cada uma das acusações, não tem conhecimento de atos condenáveis por parte de Meng e está convencida de que os tribunais americanos chegarão à mesma conclusão", afirma a empresa em um comunicado. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade