Publicidade

Correio Braziliense

Decidimos estabelecer Grupo de Contato Internacional sobre Venezuela, diz UE

A autoridade europeia ainda pediu a libertação de jornalistas que estão detidos em Caracas


postado em 31/01/2019 16:00 / atualizado em 31/01/2019 17:18

A comissária de Relações Exteriores da União Europeia, Federica Mogherini, afirmou que ela e os ministros do bloco discutiram hoje o estabelecimento de um Grupo de Contato Internacional sobre a Venezuela(foto: Daniel MIHAILESCU / AFP)
A comissária de Relações Exteriores da União Europeia, Federica Mogherini, afirmou que ela e os ministros do bloco discutiram hoje o estabelecimento de um Grupo de Contato Internacional sobre a Venezuela (foto: Daniel MIHAILESCU / AFP)
 

A comissária de Relações Exteriores da União Europeia, Federica Mogherini, afirmou que ela e os ministros do bloco discutiram hoje o estabelecimento de um Grupo de Contato Internacional sobre a Venezuela, com países do próprio bloco e da América Latina e de outros parceiros, como o secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Antonio Guterres.


Mogherini disse que a posição da UE sobre o quadro na Venezuela é "extremamente clara", já que o bloco mantém sanções em vigor contra o regime do presidente Nicolás Maduro. Ao mesmo tempo, comentou que "os canais têm sido mantidos abertos" com todas as partes em busca de uma solução para o quadro.

Deputado e presidente da Assembleia Nacional, Juan Guaidó se autointitulou presidente interino do país, qualificando Maduro como "usurpador" do poder. Ele recebeu apoio de vários países, como Estados Unidos e Brasil, mas Maduro continua a ter o aval de China, Rússia e Turquia.

Mogherini afirmou que a UE tem mantido uma "posição muito clara" sobre a Venezuela e lembrou que o bloco não enviou nenhum de seus embaixadores para a posse mais recente de Maduro, o que segundo ela era "um sinal muito claro". "Tendo dito isso, nós temos mantido nossa presença diplomática em Caracas para ter contatos com todo mundo", comentou.

A autoridade europeia ainda pediu a libertação de jornalistas que estão detidos em Caracas. Ela disse que o bloco deseja eleições "livres e justas" na Venezuela, com monitoramento adequado.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade