Publicidade

Correio Braziliense

Temperatura começa a subir nos EUA depois do frio extremo

Nos últimos dias foram registradas entre 17 e 21 mortes relacionadas com o frio, segundo um balanço oficial provisório


postado em 01/02/2019 21:11

Depois deste frio histórico, se espera um calor igualmente extremo (foto: SCOTT OLSON/AFP)
Depois deste frio histórico, se espera um calor igualmente extremo (foto: SCOTT OLSON/AFP)
 
Chicago, Estados Unidos - O norte dos Estados Unidos recuperou nesta sexta-feira (1) a rotina normal depois da passagem de uma onda de frio histórica que deixou cerca de 20 mortos em uma semana e terminou seu curso na costa atlântica. 

A região do Meio-Oeste e dos Grandes Lagos bateu recordes nos últimos dias com temperaturas de -53°C registradas em Minnesota, -51 em Wisconsin, -50 em Iowa e -48 em Illinois.

O ar polar congelou parte das famosas Cataratas do Niágara, na fronteira entre os Estados Unidos e o Canadá, e quase metade da água dos Grandes Lagos estavam cobertas de gelo, o que interrompeu o tráfego fluvial entre os dois países. 

A massa de ar que desceu do Ártico provocou cortes de água e eletricidade, interrupções no transporte e muitos acidentes de trânsito.

Nos últimos dias foram registradas entre 17 e 21 mortes relacionadas com o frio, segundo um balanço oficial provisório citado pelos meios.

Chicago, a terceira maior cidade do país, teve o segundo dia mais frio de sua história na quarta-feira, com -29 graus, a apenas três pontos do recorde de janeiro de 1985 (-32). 

Depois deste frio histórico, se esperava um calor igualmente extremo.

"Em algumas áreas do meio-oeste, o aumento da temperatura será o aquecimento mais extremo que já se viu em tão pouco tempo", disse à AFP Jeff Masters, meteorologista do Weather Underground.

Risco de inundações

A Agência Federal para o Manejo de Emergências (Fema) emitiu um boletim de advertência de inundações pelo rápido derretimento da neve.

O mau tempo alcançou, nesta sexta, o leste do país. Vários centímetros de neve cobriram a área de Washington, o que resultou no fechamento total ou antecipado de muitas escolas.

Na Nova Inglaterra e na Pensilvânia, que em algumas zonas registraram temperaturas abaixo de -15 graus, a temperatura começou a subir lentamente, antes de uma melhora significativa prevista para sábado.

A região de Buffalo, no extremo noroeste do estado de Nova York, foi particularmente afetada nos dois últimos dias. Três pessoas morreram de frio, incluindo uma sem-teto encontrada em um ponto de ônibus e duas pessoas que morreram enquanto despejavam a neve.

Outra região afetada foi Pittsburgh. Muitas escolas ficaram fechadas e os caminhos estavam intransitáveis devido ao gelo. Ainda se esperavam vários centímetros de neve para sexta.

A partir de segunda-feira se espera um rápido degelo, com temperaturas acima de 10 graus centígrados em muitas partes do nordeste do país.

Também se esperava que o termômetro aumentasse consideravelmente a partir da tarde de sexta-feira em New Hampshire, que registrou temperaturas muito abaixo do normal nos últimos dias.

Mas o inverno ainda não acabou nas altas planícies do norte. A estação meteorológica de Sioux Falls, em Dakota do Sul, anunciou nesta sexta um novo período de frio para o meio da semana.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade