Publicidade

Correio Braziliense

Chuvas fortes provocam inundações e levam crocodilos às ruas da Austrália

Cheias atingem o nordeste do país. Exército foi mobilizado para ajudar a população da região


postado em 04/02/2019 10:15 / atualizado em 04/02/2019 10:22

O Exército australiano foi enviado para áreas do nordeste do país, devido a inundações excepcionais, enquanto crocodilos foram vistos em ruas submersas.

Os militares distribuíram 70.000 sacos de areia e usaram, nesta segunda-feira, veículos anfíbios para resgatar moradores ilhados em cima do telhado de suas casas, enquanto um dilúvio se abatia sobre o estado de Queensland.

O norte tropical do país está acostumado com as monções nesta estação do ano, mas as chuvas dos últimos dias são amplamente superiores à média registrada, em especial na cidade costeira de  Townsville.

No domingo, as autoridades foram obrigadas a abrir as válvulas contra as inundações, liberando um grande volume de água.

"Nunca vimos tanta água na nossa vida", declarou a jornalista Gabi Elgood, que trabalha em uma rádio local.

"A gente achou que não fosse possível ter mais água, mas a chuva não para", acrescentou.

Em Townsville, vários carros ficaram quase totalmente sob as águas. E, para os moradores sem energia elétrica, as inundações não são a única ameaça.

O "Townsville Bulletin" relatou que crocodilos marinhos foram observados nas ruas inundadas, das quais as autoridades alertaram a população para não se aproximar.

"Excrementos de vizinhos"

"Se a ideia de se encontrar cara a cara com um crocodilo não for suficiente para convencê-lo, antes de entrar na água, deve-se ter sempre em mente que você pode cruzar com os excrementos do seu vizinho", advertiu a Polícia de Queensland em um comunicado.

"Essas precipitações não são um evento que acontece a cada 20 anos. São um evento que acontece a cada 100 anos", declarou no sábado a primeira-ministra de Queensland, Annastacia Palaszczuk.

A agência australiana de Meteorologia alertou no domingo sobre novas chuvas e o risco de tornados e ventos violentos nos próximos dias. Quase 20.000 casas correm o risco de serem inundadas, se as chuvas continuarem, afirmou o Bureau.

Escolas e tribunais permanecem fechados nesta segunda. Mais de 16.000 pessoas estão sem energia elétrica, afirma a porta-voz do grupo de distribuição elétrica Ergon Energy, Emma Oliveri.

A principal artéria que liga o norte da Austrália ao restante da costa leste também está bloqueada, o que faz temer a escassez de alimentos.

Os supermercados da rede Woolworths "fretaram dois aviões para encaminhar 3.000 toneladas de produtos frescos e artigos de primeira necessidade" para Cairns, a grande cidade de norte, indicou Tina Anandji, que pertence ao grupo.

"Continuaremos a fazer o que pudermos para levar estoques para o extremo-norte do Queensland mesmo que as estradas estejam bloqueadas", garantiu.

Segundo os meteorologistas, um sistema de monção de deslocamento muito lento estacionou em cima do norte de Queensland, e algumas zonas devem receber o equivalente a mais de um ano de chuvas, antes de uma melhora.

A região recebe em média 2.000 milímetros de chuva a cada ano, mas algumas cidades podem ultrapassar esse limite em apenas algumas semanas.

A Austrália viveu seu mês de janeiro mais quente já registrado, o que agravou a seca no interior do leste e do sul do país, e alimentou incêndios florestais.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade