Publicidade

Correio Braziliense

Catar promete reforma da legislação trabalhista após críticas

A Anistia Internacional alertou que o Catar poderia não cumprir suas promessas de melhorar as condições de centenas de milhares de trabalhadores imigrantes no país antes do início da Copa do Mundo, em 2022


postado em 06/02/2019 13:29

(foto: Arquivos / AFP)
(foto: Arquivos / AFP)

O Catar prometeu nesta quarta-feira completar a reforma de sua legislação trabalhista para melhorar as condições dos trabalhadores, após as críticas da Anistia Internacional (AI).

 

Na terça-feira (5/2), a ONG dos direitos humanos alertou que o Catar poderia não cumprir suas promessas de melhorar as condições de centenas de milhares de trabalhadores imigrantes no país antes do início da Copa do Mundo, em 2022.

 

A Anistia Internacional revelou em um relatório que, apesar das incipientes reformas, as condições de vida e de trabalho de muitos trabalhadores imigrantes no Catar seguem sendo difíceis. "O Catar entende que as mudanças são necessárias e segue decidido a aplicá-las o mais rapidamente possível, velando ao mesmo tempo para que sejam eficientes e adaptadas às condições de nosso mercado de trabalho", respondeu nesta quarta-feira em comunicado o governo catariano.

 

"Uma mudança eficiente e duradoura leva tempo e é a isso que nos comprometemos", completaram as autoridades do país.

 

A Anistia Internacional pede ao Catar que reforce e faça respeitar as leis sociais, que aumente o salário mínimo dos trabalhadores imigrantes e que acabe com as práticas de algumas empresas de confiscar os passaportes de seus funcionários.

 

A ONG pede também o fim do sistema chamado de "kafala", ou de apadrinhamento, que deixa os trabalhadores estrangeiros a mercê de seus empregadores.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade