Publicidade

Correio Braziliense

FHC lamenta morte de Garcia e relembra época em que deu aula ao peruano

Ex-presidente do Peru tirou a própria vida após receber um mandado de prisão preventiva sob as acusações de lavagem de dinheiro e recebimento de propina


postado em 18/04/2019 17:25 / atualizado em 18/04/2019 17:27

Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente do Brasil, afirma que deu aula para Alan Garcia(foto: Alex Korolkovas/Divulgação)
Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente do Brasil, afirma que deu aula para Alan Garcia (foto: Alex Korolkovas/Divulgação)
Presidente do Brasil entre 1995 e 2002, Fernando Henrique Cardoso fez uma publicação no Twitter lamentando a morte do ex-presidente Peruano, Alan Garcia, que cometeu suicídio nessa quarta-feira (17/4). FHC disse que Alan, que foi seu aluno na Universidade de Paris, no campus Nanterre, na França, era muito "admirado".

 

Sociólogo e professor universitário, FHC diz que Alan não resistiu aos males da corrupção. No texto, menciona que deve se ter respeito ao governar um país. "Populista, não resistiu à maré corruptora. Ou restabelecemos a simplicidade no viver e o respeito à lei ao governar, ou há risco de ditadores enganarem o povo com  discursos morais enganosos", destaca.

 

 

 

Durante a ditadura militar no Brasil, FHC foi exilado para o Chile e depois para a França. Nesse tempo lecionou aulas nos dois países. No território francês, trabalhou na Escola de Altos Estudos  e na Universidade de Paris. Na região chilena, ministrou na Universidade do Chile. 

 
Acusações

 

Alan Garcia presidiu o Peru por dois mandatos, de 1985 a 1990 e de 2006 a 2011. No segundo governo, o político foi acusado de ter recebido propina da Odebrecht para obter um contrato de construção no metrô de Lima, na capital peruana. Ele também era considerado suspeito de ter favorecido a empresa holandesa Terminal Multicom na concessão das obras do Terminal Norte do porto de Callao, próximo a Lima. 

 

Mandado de prisão 

Às 6h30, hora local, a polícia peruana foi à residência de Alan, para cumprir um mandado de prisão preventiva, estimado em 10 dias. A intenção era buscar novos elementos na apuração para impedir uma possível tentativa de fuga. Garcia imediatamente pegou uma arma e atirou contra a própria cabeça. O ex-presidente foi levado ao Hospital de Emergências Casimiro Ulloa e, lá, teve três paradas cardiácas e não resistiu. 

 

O velório do ex-presidente peruano acontece nesta quinta-feira (18/4) na sede do Partido Aprista Peruano, partido do político.

 

* Estagiário sob supervisão de Anderson Costolli

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade