Publicidade

Correio Braziliense

Ortega promete libertar opositores presos na véspera de greve na Nicarágua

Um 'plano de trabalho' divulgado pela chancelaria menciona "a libertação definitiva no mais tardar em 18 de junho" dos 336 opositores que foram enviados à prisão domiciliar desde fevereiro passado


postado em 22/05/2019 16:09

Libertação vem após a oposição agrupada na Unidade Nacional Azul e Branco (UNAB) convocar uma greve nacional de um dia, exigindo a soltura dos presos(foto: Inti Ocon/AFP)
Libertação vem após a oposição agrupada na Unidade Nacional Azul e Branco (UNAB) convocar uma greve nacional de um dia, exigindo a soltura dos presos (foto: Inti Ocon/AFP)

 
Manágua, Nicarágua - O governo da Nicarágua se comprometeu nesta quarta-feira a liberar de maneira "definitiva" todos os opositores presos antes do próximo 18 de junho, e a trabalhar com a OEA em uma reforma eleitoral para as eleições de 2021, na véspera de uma greve nacional opositora.

Um "plano de trabalho" divulgado pela chancelaria menciona "a libertação definitiva no mais tardar em 18 de junho" dos 336 opositores que foram enviados à prisão domiciliar desde fevereiro passado.

Inclui também os réus "que ainda se encontrem presos e os que têm processo aberto à revelia, cuja ação está em trâmite".

A nota descarta, entretanto, a proposta opositora de antecipar as eleições e propõe "continuar com a OEA o processo de fortalecimento institucional eleitoral (...) para as futuras eleições gerais de 2021".

O governo de Daniel Ortega tornou público o plano depois que a oposição agrupada na Unidade Nacional Azul e Branco (UNAB) convocou uma greve nacional de um dia, apoiado pelas câmaras empresariais, para exigir a libertação dos detidos nos protestos do último ano.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade