Publicidade

Correio Braziliense

Brasileiros relatam tensão em Lyon após explosão

Investigações sobre o caso serão conduzidas pela seção antiterrorista do Ministério Público de Paris


postado em 24/05/2019 20:36 / atualizado em 24/05/2019 20:42

(foto: Philippe Desmazes/AFP)
(foto: Philippe Desmazes/AFP)
 
De férias em Lyon (leste da França), a brasiliense Isabella Naves Rosa, 19 anos, estava em uma loja acompanhada da mãe, quando a avisaram que o estabelecimento seria fechado, após a explosão de uma bomba. A dois quarteirões dali, perto da Praça Bellecour, um artefato improvisado com parafusos ou pregos foi detonado diante de uma padaria em uma rua de pedestres, ferindo 13 pessoas, por volta das 17h30 (12h30 em Brasília).
 
"Não ouvi o estrondo, mas foi um choque. Somente fiquei um pouco mais tranquila depois de ver que os comerciantes estavam extremamente organizados", contou ao Correio. "Vi muita movimentação na rua, carros oficiais com sirenes ligadas  se dirigindo ao local. Passei pela rua onde houve a explosão cerca de uma hora depois do ocorrido, e havia muito policiamento."
 
A advogada mato-grossense Vânia Cleia Souza Lopes mora na França há 17 anos. Ela relatou à reportagem que a filha, de 13 anos, chegou em casa horrorizada, depois de escutar o barulho da explosão. "Ela estava saindo da escola, quando ocorreu. Foi algo amador. Não creio que algum grupo terrorista assumirá tal ato", disse, ao sugerir um atentado terrorista para atrapalhar as eleições para o Parlamento Europeu, no próximo domingo. "Há polícia antiterror por toda a parte. O local atingido é um local de passagem de muita gente, próximo à estação de trem Perrache."
 
A seção antiterrorista do Ministério Público de Paris vai conduzir a investigação. "Estamos realmente nos orientando para um pacote-bomba", declarou à agência France-Presse um porta-voz da Procuradoria, confirmando informações da imprensa, enquanto o procurador da República em Lyon, Nicolas Jacquet, se dirigiu ao local.
 
Em entrevista a um youtuber sobre estas eleições, o presidente francês, Emmanuel Macron, disse que houve "um ataque em Lyon". "Não cabe a mim fazer um balanço, mas a princípio, nesta fase, não há vítimas fatais. Há feridos, então obviamente envio meus pensamentos para eles, suas famílias", declarou.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade