Publicidade

Correio Braziliense

OMS discute se epidemia de ebola é emergência sanitária mundial

Segundo os regulamentos sanitários da OMS, esse tipo de emergência é "um evento extraordinário de saúde pública"


postado em 14/06/2019 14:32

(foto: Isaac Kasamani/AFP)
(foto: Isaac Kasamani/AFP)
A Organização Mundial de Saúde (OMS) decide nesta sexta-feira (14) se é necessário declarar a atual epidemia de ebola, que chegou a Uganda após emergir na vizinha República Democrática do Congo há quase dez meses, uma emergência de saúde global.

A agência da ONU declarou esse tipo de emergência apenas quatro vezes: em 2009, pela gripe H1N1; em 2014, pela poliomielite; em 2014, pela epidemia de ebola que causou mais de 11.300 mortes em três países do oeste africano (Libéria, Guiné, Serra Leoa); e em 2016, pelo vírus zika. 

A reunião do comitê de urgência sobre a epidemia de ebola, que reapareceu em agosto na República Democrática do Congo (RDC), já começou, segundo o diretor da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus. Ele participa da reunião remotamente, direto da RDC.

Espera-se que, no fim do dia, a OMS dê uma entrevista coletiva para anunciar se a doença representa uma "emergência de saúde pública de importância internacional".

De acordo com os regulamentos sanitários da OMS, esse tipo de emergência é "um evento extraordinário de saúde pública que representa um risco para a saúde pública de outros Estados, devido à disseminação internacional de uma doença, e que pode exigir uma resposta internacional coordenada".

Em duas ocasiões, em outubro de 2018 e em abril passado, a OMS desistiu de declarar este alerta de saúde para o ebola na RDC, principalmente porque a epidemia se limitava a um único país. Isso não impediu que a região se preparasse.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade