Publicidade

Correio Braziliense

Irã pode voltar à situação de antes do acordo nuclear de 2015

País passou a descumprir parte do tratado após saída unilateralmente dos EUA


postado em 15/07/2019 13:10 / atualizado em 15/07/2019 13:17

(foto: Caio Gomez/CB/D.A Press)
(foto: Caio Gomez/CB/D.A Press)
O Irã pode voltar à situação que prevalecia antes da conclusão em julho de 2015 do acordo internacional sobre seu programa nuclear, disse nesta segunda-feira (15/7) o porta-voz da organização iraniana de energia atômica.

"Se os europeus e os americanos não quiserem agir de acordo com seus compromissos, nós também, reduzindo nossos compromissos, vamos reequilibrar e voltar à situação de quatro anos atrás", declarou Behruz Kamalvandi, segundo a agência de notícias oficial Irna.

Em resposta à decisão americana de abandonar unilateralmente, em meados do ano passado, o acordo, o Irã começou a descumprir progressivamente alguns dos seus compromissos para forçar seus parceiros a agir para tentar salvar o pacto. 

"Essas medidas não são tomadas de forma obstinada. São uma oportunidade para a outra parte refletir e cumprir suas obrigações", disse Kamalvandi, enquanto os ministros das Relações Exteriores dos países membros da União Europeia (UE) estão reunidos em Bruxelas precisamente para tentar salvar o acordo.

Concluído entre Teerã e o Grupo dos Seis (China, Estados Unidos, França, Reino Unido, Rússia e Alemanha) após vários anos de esforços, o acordo prevê uma limitação do programa nuclear iraniano em troca do levantamento das sanções internacionais que sufocam sua economia.

Mas o restabelecimento das sanções extraterritoriais punitivas dos EUA contra Teerã após a retirada de Washington ameaça o acordo, privando o Irã da renda econômica esperada.

Teerã vem pedindo há meses aos Estados que ainda fazem parte do acordo que ajude a evitar as sanções, especialmente em relação à venda de petróleo, e retirar seu sistema financeiro do isolamento imposto pelas sanções de Washington.

Desde a saída dos Estados Unidos do acordo, o Irã também ameaçou em várias ocasiões abandoná-lo, se seus "interesses" não forem garantidos.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade