Publicidade

Correio Braziliense

El Salvador pede aos EUA tratamento migratório distinto ao de outros países

"Estamos defendendo nos EUA que não devemos ser medidos com a vara do Triângulo Norte, e sim com a vara de El Salvador", diz presidente Nayib Bukele


postado em 16/07/2019 10:27 / atualizado em 16/07/2019 10:34

Presidente de El Salvador, Nayib Bukele.(foto: Oscar Rivera/AFP )
Presidente de El Salvador, Nayib Bukele. (foto: Oscar Rivera/AFP )
O presidente de El Salvador, Nayib Bukele, afirmou na segunda-feira (15) que seu país pleiteia ante o governo dos Estados Unidos um tratamento migratório distinto a Honduras e Guatemala, seus vizinhos no Triângulo Norte da América Central.

"Estamos defendendo nos Estados Unidos que não devemos ser medidos com a vara do Triângulo Norte, e sim com a vara de El Salvador", disse Bukele em uma entrevista coletiva, ao lado do gabinete de segurança.

O governo de Donald Trump anunciou operações contra imigrantes em 10 estados a partir do domingo.

Bukele indicou que a migração é uma prioridade, razão pela qual a chanceler salvadorenha Alexandra Hill, está em Washington para reuniões com funcionários do governo e congressistas americanos.

Ao pedir um tratamento separado de outros países do Triângulo Norte, Bukele comentou que "às vezes se castiga uma região pelos atos de governos nos quais não temos nenhuma incidência".

Desde outubro do ano passado, a emigração de hondurenhos, guatemaltecos e salvadorenhos aumentou com as caravanas de pessoas que tentam fugir da violência e buscar melhores condições de vida.

"Às vezes somos julgados como Triângulo Norte e acredito que é um pouco injusto. Aqui em El Salvador combatemos o crime diretamente", insistiu o presidente.

Ele citou o caso das drogas e afirmou que El Salvador apreende 75% da cocaína que grupos criminosos pretendem transportar aos Estados Unidos, enquanto, disse, em Honduras fica em 2 ou 3%. "Mas quando se estabelece a média do Triângulo Norte se diz que as apreensões são de 30%".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade