Publicidade

Correio Braziliense

Crise econômica na Argentina leva à renúncia do ministro da Fazenda

Nicolás Dujovne entregou carta de renúncia neste sábado. Em seu lugar entra Hernán Lacunza, ministro da Economia da província de Buenos Aires


postado em 17/08/2019 19:40 / atualizado em 17/08/2019 19:51

O presidente Macri com o agora ex-ministro da Fazenda Nicolás Dujovne(foto: AFP)
O presidente Macri com o agora ex-ministro da Fazenda Nicolás Dujovne (foto: AFP)
O ministro argentino da Fazenda, Nicolás Dujovne, renunciou neste sábado (17) ao cargo e será substituído por Hernán Lacunza, reportaram veículos de comunicação argentinos, que publicaram a carta de renúncia. 

Na missiva, reproduzida no site do jornal La Nación, Dujovne se disse "convencido de que, em virtude das circunstâncias, a gestão (do governo) precisa de uma renovação significativa na área econômica". 

Segundo o jornal, seu substituto será Lacunza, ministro da Economia da província de Buenos Aires. 

Eleições

Dujovne deixa o cargo em meio a um aprofundamento da crise econômica na Argentina, após as eleições primárias de domingo passado, que deram um duro golpe nas aspirações de reeleição do presidente Mauricio Macri. 

A chapa do opositor Partido Justicialista, liderado por Alberto Fernández e que traz ex-presidente Cristina Fernández de Kirchner como candidata a vice, obteve quase a metade dos votos nestas eleições obrigatórias, destinadas a confirmar as chapas para as presidenciais de outubro, contra pouco mais de 32% para o atual presidente. 

O resultado derrubou a bolsa argentina e a cotação do dólar, assim como o risco país, que mede a capacidade de cumprimento das obrigações financeiras de um Estado, dispararam diante do temor dos mercados de um retorno ao poder da ex-presidente, que comandou um governo praticamente isolado do mercado financeiro internacional até 2015.

Neste sábado, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, mencionou a situação argentina e disse pedir a Deus para que o país vizinho "não retroceda" para o kirchnerismo.  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade