Publicidade

Correio Braziliense

Síria denuncia envio de comboio militar turco à cidade de Idlib

A região de Idlib, dominada pelo grupo jihadista Hayat Tahrir al-Sham (ex-braço sírio da Al-Qaeda) e base de alguns grupos rebeldes


postado em 19/08/2019 10:47

A Síria denunciou nesta segunda-feira (19) o envio de um comboio do exército turco "repleto de munições" ao sul da província de Idlib (noroeste), um dia depois da entrada do exército sírio na cidade estratégica de Khan Sheikhun.

"Veículos turcos carregados de munições seguem para Khan Sheikhun para socorrer os terroristas, o que confirma mais uma vez o apoio que o regime turco fornece aos grupos terroristas", afirmou uma fonte do ministério sírio das Relações Exteriores, citada pela agência oficial SANA. 

Aviões russos e sírios bombardeiam posições próximas do local em que se encontra o comboio para impedir que avance, afirmou a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Um correspondente observou nesta segunda-feira um comboio de quase 50 veículos militares, incluindo vários blindados, caminhões de tropas e ao menos cinco tanques, que seguiam para Maaret al-Nooman, cidade que fica 15 km ao norte de Khan Sheikhun.

A chegada do comboio acontece um dia depois da entrada das forças do regime sírio em Khan Sheikhun, cidade chave de Idlib, pela primeira vez desde que perderam seu controle em 2014 e em meio a intensos confrontos com os jihadistas e seus aliados rebeldes, apoiados pela Turquia.

Uma reconquista desta cidade permitiria às forças do regime cercar o norte da província vizinha de Hama, onde estão os postos de observação turcos.

A maior parte de Idlib e partes das províncias vizinhas de Aleppo, Hama e Latakia ainda estão fora do controle do regime de Bashar al-Assad, oito anos após o início da guerra. 

A região de Idlib, dominada pelo grupo jihadista Hayat Tahrir al-Sham (HTS, ex-braço sírio da Al-Qaeda) e base de alguns grupos rebeldes, é alvo desde o fim de abril de bombardeios quase diários por parte do regime e sua aliada Rússia.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade