Publicidade

Correio Braziliense

Londres evitará a maioria das reuniões da UE a partir de setembro

O governo de Boris Johnson informou que só participará caso haja algumas questões de interesse nacional, como segurança


postado em 20/08/2019 12:47

Boris Johnson, primeiro-ministro britânico (foto: Tolga Akmen/AFP)
Boris Johnson, primeiro-ministro britânico (foto: Tolga Akmen/AFP)
Os funcionários britânicos deixarão de assistir a maioria das reuniões da União Europeia a partir de 1º. de setembro, exceto as que se refiram a questões de interesse nacional, como segurança, anunciou nesta terça-feira (20/8) o governo de Boris Johnson.

O ministério do Brexit disse em uma declaração que o tempo gasto preparando reuniões em Bruxelas seria melhor utilizado para preparar o país para deixar a União Europeia em 31 de outubro. 

"Esta decisão reflete o fato de que a saída do Reino Unido da UE em 31 de outubro está agora muito próxima e muitos dos debates nas reuniões da UE serão sobre o futuro da união depois que o Reino Unido tiver saído", explica o ministério em uma nota.

"Esta decisão não tem a intenção de impedir o funcionamento da UE. A votação do Reino Unido será delegada de forma a não obstruir os assuntos em andamento dos 27 membros restantes da UE", acrescentou. 

O ministro do Brexit, Steve Barclay, acrescentou: "De agora em diante, só participaremos de reuniões que realmente importam, reduzindo a participação de mais da metade e economizando centenas de horas". 

A decisão de comparecer ou não a uma reunião será tomada caso a caso, disse o ministério.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade