Publicidade

Correio Braziliense

Câmara dos EUA abre processo de impeachment contra Trump

A acusação é de que o presidente violou a lei ao tentar recrutar um poder estrangeiro para interferir a seu favor na eleição de 2020


postado em 24/09/2019 18:41 / atualizado em 24/09/2019 19:11

(foto: Saul Loeb/AFP)
(foto: Saul Loeb/AFP)
A presidente da Câmara dos Representantes dos EUA, Nancy Pelosi, anunciou nesta segunda-feira a abertura do processo formal de impeachment contra o presidente Donald Trump. A acusação é de que ele violou a lei ao tentar recrutar um poder estrangeiro para interferir a seu favor na eleição de 2020.

Em julho deste ano, Trump teria pressionado o presidente da Ucrânia, Voldomir Zerlenski, para colaborar com seu advogado pessoal, Rudolph Giuliani, em uma investigação sobre Hunter Biden – filho do ex-vice-presidente Joe Biden – que integrou o conselho de uma empresa de gás ucraniana. 

De acordo com um agente de segurança do governo americano, o mesmo que revelou o conteúdo da conversa, o presidente americano disse oito vezes, durante a conversa, a Zalensky que ele deveria colaborar com a investigação. A ligação ocorreu no momento em que a Ucrânia aguardava a aprovação de um pacote de ajuda militar dos EUA, no valor de US$ 250 milhões. A verba foi ratificada no mês pelo Congresso, mas suspensa logo depois pela Casa Branca. 

Joe Biden é o principal pré-candidato democrata às eleições presidenciais de 2020. Além de ser favorito dentro do partido, ele lidera as pesquisas de opinião, sendo considerado a maior e principal ameaça à reeleição de Donald Trump. 

De acordo com a CNN, o filho de Bilden, Hunter Biden, trabalhou na empresa ucraniana Burima Holdings (que foi investigada), porém, nenhuma parte da investigação aponta que o filho do pré-candidato tivesse participado do esquema de corrupção que levou à queda de um procurador da Ucrânia em 2016. 

Primeiramente, Trump recusou a comentar o conteúdo da conversa com o presidente ucraniano. “Não interessa o que eu discuti”, declarou. Depois, ele reconheceu a ligação e disse e que não enviaria nenhuma ajuda à Ucrânia por questões de corrupção. "Por que você daria dinheiro a um país que você acha que é corrupto?", disse.

Questionado mais tarde se o presidente ucraniano receberia o dinheiro em troca da investigação, negou. "Eu não fiz isso. Se você vir a ligação (transcrição), ficará muito surpreso", disse ele a repórteres. 

Nesta terça-feira, o presidente americano mudou o discurso, após pressão para a divulgação da transcrição do diálogo. Trump afirmou que o teor do telefonema poderá ser divulgado "completa, sem nenhuma classificação e sem edição". 

Resposta

Trump se mostrou surpreso com a abertura do processo de impeachment. Segundo ele, ninguém ainda viu a transcrição da ligação, e considerou o processo um total “caça às bruxas” . 

“Um dia tão importante nas Nações Unidas, tanto trabalho e tanto sucesso, mesmo assim os democratas arruinaram e demandaram mais “manchetes” com uma enorme bagagem. Tão ruim para o país”, declarou em sua conta do Twitter. 
 
 
 
 
 
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade