Publicidade

Correio Braziliense

Mulher corta pênis e testículos do amante e pega 13 anos de prisão

O crime é fruto de uma vingança, após o homem compartilhar com os amigos vídeos e fotos de relações sexuais com a mulher


postado em 27/09/2019 13:25 / atualizado em 27/09/2019 13:30

(foto: AFP Photo/Telam )
(foto: AFP Photo/Telam )
Uma mulher de 28 anos vai cumprir 13 anos de prisão por cortar parte do pênis e os testículos do amante em Córdoba, na Argentina. A sentença saiu nessa quarta-feira (25), após decisão por unanimidade de um júri popular. No entendimento dos jurados, o ato configura tentativa de assassinato. Brenda Micaela Barattini, que confessou o crime, também deverá pagar US$ 493.665 à vítima - o músico Sergio Fernandez, de 42 anos.

O crime ocorreu em 25 de novembro de 2017. Brenda fez uma espécie de jogo sexual para cometer os ataques: vendou o amante e começou a fazer sexo oral nele. Quando percebeu que o homem estava excitado, amputou-lhe o pênis com uma tesoura de jardinagem. Fernandez foi socorrido por vizinhos, que ouviram seus gritos. 

O músico passou oito dias em coma e alega que ainda tem ataques de pânico ao se relacionar com outras mulheres, pois pensa que todas querem matá-lo durante o ato sexual. 

Vingança

O crime é fruto de uma vingança contra Sérgio, já que ele compartilhou vídeos e fotos de suas relações sexuais com Branda com amigos. “Ele me transformou em um objeto sexual. Violou a minha privacidade e destruiu a minha carreira. Fiquei arruinada”, afirmou a ré perante o juiz.

A severidade da pena surpreendeu Barattini e sua família. Segundo o advogado de defesa, havia expectativa por uma pena mais branda - entre 3 a 10 anos de reclusão. Do lado de fora do fórum, um grupo de militantes manifestou apoio à arquiteta e repúdio contra o promotor do caso. 

Antes que o juiz proferisse a sentença, no entanto, Brenda Barattini demonstrou arrependimento por seus atos: “Eu ferrei minha vida. Nunca na minha vida eu queria matar alguém. Não era minha intenção e peço que seja feita justiça. Sinto muito pelo que fiz. Eu quero continuar com minha vida normal. Eu sinto muito. Eu nunca iria querer matar alguém".

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade