Publicidade

Correio Braziliense

Funcionárias de asilo são acusadas de organizar 'Clube da Luta' com idosos

Segundo a polícia, elas não só teriam incentivado os moradores do asilo a lutar uns contra os outros como também teriam agredido um deles com um empurrão. Tudo foi filmado pelas próprias funcionárias


postado em 16/10/2019 10:07 / atualizado em 16/10/2019 10:20

As três funcionárias supostamente filmaram e incentivaram uma luta entre duas moradoras idosas(foto: Reprodução/Yelp)
As três funcionárias supostamente filmaram e incentivaram uma luta entre duas moradoras idosas (foto: Reprodução/Yelp)
Três funcionárias de um asilo, localizado na Carolina do Norte, nos Estados Unidos, foram presas após serem acusadas de organizar um tipo de 'Clube da Luta' entre os pacientes idosos e com demência.

As três mulheres foram detidas no início do mês. Segundo a polícia, elas não só teriam incentivado os moradores do asilo a lutar uns contra os outros como também teriam agredido um deles com um empurrão. Tudo foi filmado pelas próprias funcionárias. 

Em junho, a polícia iniciou a investigação quando foi alertada pela primeira vez sobre os abusos. Um dos vídeos gravados mostra duas idosas lutando, enquanto uma grita "Me solte, me ajude, me ajude, me solte" e a outra bate nela repetidamente, segundo o Winston-Salem Journal. A polícia disse que os gritos das funcionárias dizendo coisas como "soque a cara dela", podem ser ouvidos no registro. Em depoimento, uma das acusadas contou que só filmaram a briga porque a mulher sendo atacada era "um pé no saco". 

As três mulheres foram indiciadas sob a acusação de agredir um deficiente e, no momento, estão soltas sob fiança. Entretanto, dia 14 de novembro deverão comparecer ao tribunal para julgamento. 

De acordo com o Winston-Salem Journal, o Departamento de Saúde e Serviços Humanos da Carolina do Norte proibiu o asilo de aceitar novos pacientes após as acusações, como também demitiu as funcionárias acusadas. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade