Publicidade

Correio Braziliense

Professor de Oxford é acusado de vender papiros bíblicos ilegais

O professor especialista em papirologia é acusado de ter vendido textos bíblicos antigos da coleção Oxyrhynchus, que reúne documentos do século III a.C. ao século VII d.C


postado em 16/10/2019 11:01

Pessoas olhando os fragmentos de João, papiros recuperados das areias do Egito.(foto: Twitter Reprodução/@DrCraigAEvans )
Pessoas olhando os fragmentos de João, papiros recuperados das areias do Egito. (foto: Twitter Reprodução/@DrCraigAEvans )
A prestigiosa universidade britânica de Oxford anunciou nesta quarta-feira (16) que iniciou uma investigação interna sobre um de seus professores, suspeito de vender papiros bíblicos não autorizados para lojas de arte americanas.

 

O professor Dirk Obbink, especialista em papirologia, é acusado de ter vendido uma dúzia de textos bíblicos antigos da coleção Oxyrhynchus, que reúne documentos do século III a.C. ao século VII d.C.

 

Propriedade da Sociedade de Exploração Egípcia (EES), esta coleção é preservada na Universidade de Oxford, no centro da Inglaterra.

 

Uma porta-voz da Oxford disse à AFP que a universidade colabora com a EES "em relação às acusações de papiros da coleção Oxyrhynchus". Além disso, "a universidade realiza sua própria investigação interna".

 

Dirk Obbink não respondeu aos pedidos de comentários da AFP.

 

Em uma declaração, a ESS explicou que conta com a ajuda de um museu americano atualmente na posse desses textos.

 

O Museu da Bíblia em Washington enviou fotos de 13 textos para ajudar na identificação e concordou em devolvê-los. Estes incluem trechos do livro de Gênesis, do livro do Êxodos e do de Salmos.

 

O museu afirmou que os obteve após sua venda pela Obbink à rede americana de lojas de arte Hobby Lobby. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade