Publicidade

Correio Braziliense

China critica indicação do "Povo de Hong Kong" ao Nobel da Paz 2020

China acusa organizações e governos estrangeiros de jogarem lenha na fogueira e promoverem a violência por meio de declarações a favor dos manifestantes


postado em 17/10/2019 10:56

Manifestação pró-democracia em Hong Kong(foto: Nicolas Asfouri/AFP)
Manifestação pró-democracia em Hong Kong (foto: Nicolas Asfouri/AFP)
A China denunciou nesta quinta-feira (17) uma "interferência" em seus assuntos internos, depois que um legislador norueguês indicou o "povo de Hong Kong" para o Prêmio Nobel da Paz 2020. 

 

A ex-colônia britânica de Hong Kong, agora território chinês com ampla autonomia, está passando por sua mais grave crise política desde junho e desde sua devolução à China em 1997, com demonstrações às vezes violentas para denunciar um revés em relação às suas liberdades. 

 

Em várias ocasiões, a China acusou organizações e governos estrangeiros de jogarem lenha na fogueira e promoverem a violência por meio de declarações a favor dos manifestantes. 

 

"Propus o Prêmio Nobel da Paz 2020 ao povo de Hong Kong, que arrisca suas vidas e sua segurança todos os dias para defender a liberdade de expressão e democracia", anunciou nesta semana Guri Melby, vice-presidente de um pequeno partido liberal e membro da coalizão que governa a Noruega.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade