Publicidade

Correio Braziliense

Chile convocam reservistas das forças armadas diante de protestos

Protestos violentos no Chile já deixaram 18 mortos; manifestações começaram após o aumento no preço da passagem do metrô


postado em 23/10/2019 21:40

Medidas do presidente Piñera não acalmaram os manifestantes(foto: STRINGER/Reprodução)
Medidas do presidente Piñera não acalmaram os manifestantes (foto: STRINGER/Reprodução)
O ministério da Defesa convocou reservistas do Exército, em meio ao estado de emergência que vigora em Santiago e em outras cidades do país devido à onda de protestos que sacode o Chile.

Um porta-voz da Defesa esclareceu à AFP que os convocados não serão utilizados para patrulhar as ruas, apenas para trabalhos administrativos.

Devido ao estado de emergência, que levou os militares para as ruas de vários pontos do país, se decretou o chamado "serviço ativo do pessoal da reserva do Exército do Chile", segundo documento divulgado pela mídia chilena.

Segundo o ministério da Defesa, os convocados "não irão às ruas para patrulhar, farão um papel de apoio, mais de logística, administrativo".

A onda de protestos, que começou com manifestações contra a elevação dos preços do metrô, evoluiu para um movimento mais amplo, que continua apesar de o governo reverter o aumento.  

Até o momento, os seis dias de protestos já deixaram 18 mortos, cinco deles por ação das forças de ordem.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade