Publicidade

Correio Braziliense

Milhares de libaneses se manifestam no ''domingo da determinação''

País está sem um novo governo por duas semanas após a renúncia do primeiro-ministro sob pressão das ruas


postado em 10/11/2019 16:34 / atualizado em 10/11/2019 16:38

(foto: Patrick BAZ / AFP)
(foto: Patrick BAZ / AFP)
Milhares de libaneses se manifestaram, neste domingo, pela quarta semana consecutiva contra a classe dominante, enquanto a crise econômica se agrava em um país sem um novo governo por duas semanas após a renúncia do primeiro-ministro sob pressão das ruas.

 

O Líbano vive, desde 17 de outubro, em meio a um protesto sem precedentes contra toda a classe governante, considerada corrupta e incapaz de acabar com uma profunda depressão econômica.

 

O protesto levou à renúncia do primeiro-ministro Saad Hariri em 29 de outubro, mas as negociações foram adiadas para a formação de um novo governo.

 

Batizado como “domingo da determinação”, o dia foi marcado por manifestações em massa em várias cidades.

 

Em Beirute, Saida e Tiro (sul) e em Trípoli (norte), as fileiras de manifestantes pediram que se acelere a formação de um governo de tecnocratas independentes.

 

“Não sairemos da rua até que nossas demandas sejam completamente satisfeitas”, afirmou um jovem a uma rede local. “Estamos mais determinados do que nunca”.

 

Na quarta-feira, o Banco Mundial pediu às autoridades para formar um novo governo o mais rápido possível, alertando para uma “recessão mais profunda” em caso de estagnação.

 

Hassan Nasralá, o influente líder do Hezbollah e que descartou a ideia de um governo exclusivamente de técnicos, falará na televisão na segunda-feira. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade