Publicidade

Correio Braziliense

Ex-presidente boliviano Evo Morales pede a pacificação do país

Morales, que ainda tem maioria no Congresso que escolherá seu substituto provisório, afirmou que ''o mundo e bolivianos patriotas repudiam o golpe''


postado em 11/11/2019 10:00 / atualizado em 11/11/2019 10:17

No momento, a Bolívia está sem presidente(foto: HO / Bolivian Presidency / AFP)
No momento, a Bolívia está sem presidente (foto: HO / Bolivian Presidency / AFP)
O ex-presidente boliviano Evo Morales pediu nesta segunda-feira (11/11) aos líderes civis do movimento que pressionou por sua renúncia, que ele chama de golpe de Estado, que "assumam sua responsabilidade de pacificar o país", onde no domingo (10/11) foram registrados distúrbios e saques.

"Que assumam sua responsabilidade de pacificar o país e garantam a estabilidade política e convivência pacífica de nosso povo", escreveu Morales, que está na região cocaleira boliviana de Chapare (centro do país), no Twitter.

"(O ex-presidente Carlos) Mesa e (o líder regional de direita Luis Fernando) Camacho, discriminadores e conspiradores, entrarão para a história como racistas e golpistas", completou.

Morales, que ainda tem maioria no Congresso que escolherá seu substituto provisório, afirmou que "o mundo e bolivianos patriotas repudiam o golpe", depois de se pressionado por militares e policiais para que renunciasse ao cargo.

"Os ministro de Governo (Interior) e Defesa estão em funções, pois ainda não renunciaram", afirmou Gustavo Pedraza, candidato à vice-presidência da chapa de Carlos Mesa nas eleições anuladas de outubro.

No momento, a Bolívia está sem presidente. A Constituição estabelece que a sucessão começa com o vice-presidente, seguido pelo presidente do Senado e depois pelo titular da Câmara dos Deputados, mas todos renunciaram com Morales.

O ex-presidente, que passou quase 14 anos no poder, tuitou ainda que a solidariedade recebida dá "alento, força e energia. Me emocionaram e me fizeram chorar. Nunca me abandonaram; nunca os abandonarei".

Apoio 

A ex-presidente Dilma Rousseff escreveu no Twitter uma mensagem de apoio a Evo Morales.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade