Publicidade

Correio Braziliense

Maré alta dá trégua em Veneza, mas Florença e Pisa estão em alerta

Apesar de menor, maré alta ainda preocupa autoridades na Itália; prejuízos das inundações em Veneza são estimados em mais de 1 bilhão de euros


postado em 17/11/2019 17:07

Água chegou ao nível de 1,87m na última terça-feira (12)(foto: Filippo MONTEFORTE/AFP)
Água chegou ao nível de 1,87m na última terça-feira (12) (foto: Filippo MONTEFORTE/AFP)
Destruída pelas inundações há uma semana, Veneza sofre com uma nova maré alta nesta domingo, um pouco menor que as últimas, e foram emitidos alertas para Florença e Pisa devido às chuvas incessantes que atingem o sul da Itália

A "acqua alta", ou maré alta, alcançou 1,50 m neste domingo, longe do seu pico de  1,87 m que atingiu a "Sereníssima", como a cidade é conhecida, na terça. 

"A água parou de subir", tuitou o prefeito de Veneza, Luigi Brugnaro. "Pico de 150 cm (...) Os venezianos só se ajoelham para rezar. Veneza está trabalhando duro para recomeçar", escreveu. 

Os meteorologistas estimam que as marés não superem os 110 cm nos próximos dias, o que deve permitir que a cidade avalie os danos, já estimados pelo prefeito em mais de 1 bilhão de euros.

A emblemática praça São Marcos foi reaberta no fim deste domingo (no horário local).

- Pisa e Florença em alerta -

Mais ao sul, na Toscana, ficam outras duas joias italianas, Florença e Pisa, que estão em estado de alerta devido à ameaça das águas. 

Presidente da região da Toscana, Enrico Rossi tuitou um alerta sobre o risco de transbordamento do rio Arno e afirmou que flutuadores foram instalados nas suas margens em Pisa "por medida de precaução". 

O Exército italiano tuitou fotos de militares consolidando os bancos do Arno, que também atravessa Florença, onde as águas se elevaram perigosamente na noite de sábado para domingo. A proteção civil italiana aconselhou os moradores a não se aproximar das margens do rio. 

A cidade tinha sido devastada em 1966 por inundações que deixaram cem mortos e destruiu obras-primas de valor inestimável da Renascença

Os bombeiros tuitaram um vídeo de um de seus barcos resgatando pessoas ilhadas pelas águas na província de Grossetano, no sul da Toscana. 


- Avaliação de danos em Veneza -

Desde terça, em Veneza mais de 50 igrejas foram danificadas, entre elas a Basílica de São Marcos, além de lojas e casas inundadas. Hotéis começaram a sentir os cancelamentos para as festas de fim de ano. 

Veneza, que tem 50 mil habitantes, recebe cerca de 36 milhões de turistas por ano, dos quais 90% são estrangeiros. 

O prefeito de Veneza anunciou na sexta a abertura de uma conta bancária para todos os que, na Itália e no exterior, desejarem contribuir com os reparos. "Veneza, um lugar único, é um patrimônio do mundo todo. Graças a sua ajuda, Veneza brilhará novamente", escreveu em um comunicado. 

Moradores que tiveram as casas danificadas podem receber uma ajuda imediata do governo de 5 mil euros, e os comerciantes, de até 20 mil euros. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade