Publicidade

Correio Braziliense

Presidente chileno condena violência policial e saúda nova Constituição

''Houve uso excessivo da força, foram cometidos abusos ou delitos e não se respeitaram os direitos de todo'', reconheceu o presidente


postado em 17/11/2019 22:54

(foto: AFP / CLAUDIO REYES)
(foto: AFP / CLAUDIO REYES)

O presidente do Chile, Sebastián Piñera, condenou pela primeira vez neste domingo (17/11) os abusos cometidos pela Polícia nas manifestações multitudinárias que sacodem o Chile há um mês e saudou o acordo feito com o Congresso para convocar um plebiscito para redigir uma nova Constituição.

"Houve uso excessivo da força, foram cometidos abusos ou delitos e não se respeitaram os direitos de todos", reconheceu o presidente em pronunciamento à Nação, do palácio presidencial, na véspera de se completar um mês da crise que deixou 22 mortos e milhares de feridos, prestando condolências às famílias das vítimas.

No discurso, Piñera ainda comemorou a oportunidade de redigir uma Constituição que substituirá a vigente desde a ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990).

"Se a cidadania assim o decidir, avançaremos para uma nova Constituição, a primeira na democracia", afirmou o presidente.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade