Publicidade

Correio Braziliense

Operação mundial detém mais de 200 pessoas contra lavagem de dinheiro

A operação, apoiada pela Europol, permitiu identificar 3.833 "mulas financeiras" e 386 recrutadores, dos quais 228 foram detido


postado em 04/12/2019 08:32 / atualizado em 04/12/2019 09:19

A operação aconteceu em 31 países, incluindo Alemanha, Bélgica, Espanha, Suíça, Reino Unidos, Estados Unidos e Austrália(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
A operação aconteceu em 31 países, incluindo Alemanha, Bélgica, Espanha, Suíça, Reino Unidos, Estados Unidos e Austrália (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Policiais de 31 países prenderam 228 pessoas e identificaram mais de 3.800 "mulas financeiras" no âmbito de uma gigantesca operação contra a lavagem de dinheiro, anunciou nesta quarta-feira (4/12) a agência europeia de polícia Europol.

A operação, executada em novembro, resultou na abertura de mais de 1 mil investigações criminais e permitiu evitar "uma perda total de 12,9 milhões de euros" (14,2 milhões de dólares), afirmou a Europol em um comunicado.

"Mais de 650 bancos, 17 associações de bancos e outras instituições financeira contribuíram para a declaração de 7.520 transações fraudulentas de mulas financeiras, o que evitou uma perda total de 12,9 milhões de euros", explicou a Europol.

A operação, apoiada pela Europol, a unidade europeia de cooperação Eurojust e a Federação Bancária Europeia (FBE), permitiu identificar 3.833 "mulas financeiras" e 386 recrutadores, dos quais 228 foram detidos.

As "mulas financeiras" participam com frequência de atividades de lavagem de dinheiro, recebendo e transferindo quantias obtidas ilegalmente, indicou a Europol.

Os recrutadores, particularmente ativos nas redes sociais, convencem as vítimas "a abrir contas bancárias sob o pretexto de enviar ou receber fundos.

A operação aconteceu em 31 países, incluindo Alemanha, Bélgica, Espanha, Suíça, Reino Unidos, Estados Unidos e Austrália.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade