Publicidade

Correio Braziliense

Julgamento de Trump será prioridade do Senado dos EUA em janeiro

Presidente americano é acusado de abuso de poder e obstrução ao Congresso


postado em 11/12/2019 19:19

(foto: MANDEL NGAN/AFP)
(foto: MANDEL NGAN/AFP)
O líder da maioria republicana no Senado americano disse nesta quarta-feira (11) que o julgamento do presidente Donald Trump será a principal prioridade em janeiro se o presidente for acusado na próxima semana pela Câmara de Representantes como se espera.

O Comitê Judicial da Câmara baixa se reúne nesta quarta para discutir as duas acusações anunciadas na terça contra Trump após uma investigação de dois meses: abuso de poder e obstrução ao Congresso.

O painel provavelmente voltará nesta quinta para aprovar as acusações, que na semana que vem serão considerados no plenário da Câmara de Representantes, controlada pela oposição democrata.

Trump é acusado de abuso de poder por reter ajuda militar crucial à Ucrânia para enfrentar a agressão russa e oferecer uma visita à Casa Branca ao colega ucraniano, Volodimir Zelenski, em troca de Kiev abrisse uma investigação ao ex-vice-presidente Joe Biden, seu adversário em potencial nas eleições de 2020.

A negativa de Trump de responder às convocações do Congresso no âmbito da investigação do caso é a base da segunda acusação.

Se a Câmara baixa der luz verde às acusações, Trump se tornará o terceiro presidente submetido a julgamento no Senado depois de Andrew Johnson em 1868 e Bill Clinton em 1998, ambos absolvidos. Em 1974, o republicano Richard Nixon renunciou antes de ser votada a sua acusação.

O processo seguiria depois para o Senado, que deverá decidir se Trump será destituído.

"Um julgamento no senado terá que ser a nossa principal prioridade em janeiro", disse o líder da maioria republicana no Senado, Mitch McConnell, aos colegas na sala.

No entanto, é muito provável que Trump seja absolvido na Câmara alta, onde se requer maioria de dois terços para uma condenação e os republicanos têm 53 assentos contra 47 dos democratas.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade