Mundo

Bolsas do Golfo caem em contexto de tensões entre EUA e Irã

As sete bolsas dos seis Estados-membros do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG) %u2013 Bahrein, Kuwait, Omã, Catar, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos %u2013 fecharam no vermelho neste primeiro dia de operações desde que o bombardeio dos Estados Unidos matou Qasem Soleimani

Agência France-Presse
postado em 05/01/2020 14:35
[FOTO1]
A gigante petroleira saudita Aramco registrou neste domingo o nível mais baixo desde sua entrada na Bolsa de Riad, em um contexto de queda geral das Bolsas do Golfo depois que um general iraniano foi morto pelos Estados Unidos, o que gerou tensões regionais significativas.

As sete bolsas dos seis Estados-membros do Conselho de Cooperação do Golfo (CCG) ; Bahrein, Kuwait, Omã, Catar, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos ; fecharam no vermelho neste primeiro dia de operações desde que o bombardeio dos Estados Unidos matou Qasem Soleimani, na sexta-feira no Iraque.

O Tadawul, índice de referência da Bolsa saudita, a mais importante da região e uma das dez maiores do mundo, terminou em queda de 2,4% com a maioria dos títulos em vermelho.

A Saudi Aramco, maior empresa de capital aberto do mundo, perdeu 1,7%, diminuindo sua capitalização para 1,8 trilhão de dólares.

Na sexta-feira, depois da morte de Soleimani em Bagdá, as bolsas de valores do Golfo fecharam, enquanto as praças de todo o mundo se contraíram com o risco de um confronto entre EUA e Irã. Os preços brutos do petróleo dispararam.

Neste domingo, a Bolsa de Kuwait caiu 3,7%; a de Dubai, 3,1%; a de Abu Dhabi, 1,4%; a do Catar, 2,1%; e a do Bahrein, 2,3%. Em Omã a queda foi de apenas 0,3%.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação