Mundo

Rouhani pede unidade; aiatolá liderará oração

Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 16/01/2020 04:06
Presidente assina livro de condolências por vítimas de avião derrubado



Em meio a uma onda de protestos internos e à pressão internacional em decorrência da derrubada de um avião ucraniano com 176 pessoas por militares iranianos, o presidente Hassan Rohani fez, ontem, um apelo pela ;unidade nacional; e por uma mudança radical na forma de governo do país. Segundo ele, as Forças Armadas precisam pedir desculpas por ter abatido a aeronave comercial e explicar ;ao povo o que aconteceu;, para que as pessoas entendam que ;não querem esconder nada;.

O governo iraniano alega que foi informado do ocorrido apenas na sexta-feira, dois dias depois da tragédia. Em um primeiro momento, as autoridades não reconheceram sua responsabilidade no episódio, o que provocou manifestações contra o Executivo e uma onda de indignação desde sábado, após a divulgação de imagens mostrando que o avião havia sido abatido.

Referindo-se a uma série de acontecimentos ;trágicos; ocorridos neste mês no país ; o assassinato do general Quassem Soleimani por parte de Washington e à catástrofe ;inaceitável; do voo da Ukrainian Airlines ;, Rohani declarou que essa situação deve levar a uma ;grande decisão; dentro do sistema político iraniano, que resultará em uma ;reconciliação nacional;.

Segundo o presidente, as eleições legislativas, previstas para 21 de fevereiro, ;devem ser a primeira etapa; desse processo. ;O povo quer diversidade (;) Permitam a todos os partidos e grupos se apresentarem. O país não pode estar governado por uma única ala política. O país pertence a todos;, afirmou, dirigindo-se implicitamente ao Conselho dos Guardiães, organismo encarregado do controle das eleições e que costuma ser acusado pelos reformistas de se exceder na hora de selecionar candidatos.

As declarações de Rohani foram dadas depois de um conselho de ministros e transmitidas, excepcionalmente, ao vivo pela televisão pública. Também inesperado foi o anúncio de que o guia supremo iraniano, Ali Khamenei, liderará a grande oração em Teerã, amanhã. Embora ele seja o imã oficial da oração de sexta-feira, a tarefa geralmente é delegada a outras pessoas. A última vez que Ali Khamenei a oficializou foi em 3 de fevereiro de 2012, na ocasião do 33; aniversário da Revolução Islâmica e no meio da crise internacional em torno do programa nuclear iraniano.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação