Publicidade

Correio Braziliense

75 integrantes do PCC fogem de prisão por túnel, no Paraguai

Cinco caminhonetes usadas na fuga foram encontradas incendiadas em Ponta Porã, que fica no lado brasileiro da fronteira


postado em 19/01/2020 12:23 / atualizado em 19/01/2020 14:39

(foto: Divulgação/Polícia Nacional do Paraguai)
(foto: Divulgação/Polícia Nacional do Paraguai)
Entre paraguaios e brasileiros, 75 presos fugiram de uma penitenciária na cidade de Pedro Juan Caballero, na fronteira do Paraguai com o Brasil, segundo a polícia do país. A maioria pertence ao Primeiro Comando da Capital (PCC), considerado o maior grupo de traficantes de drogas e armas do Brasil.

 

"A fuga aconteceu na madrugada de domingo por um túnel construído pelos presos", informou a delegada Elena Andrada, porta-voz da Polícia. "Nossos melhores homens foram para a fronteira para tentar recapturar os detentos", acrescentou.

 

Cinco caminhonetes usadas na fuga foram encontradas incendiadas em Ponta Porã, que fica no lado brasileiro da fronteira, separada de Pedro Juan Caballero por uma avenida limítrofe, relatou a porta-voz.

 

"Este é um trabalho de várias semanas. É evidente que o pessoal sabia e não fez nada", disse a ministra da Justiça, Cecilia Pérez, à imprensa.

 

O diretor da prisão foi destituído, e dezenas de agentes penitenciários, detidos.

 

"Há uma forte suspeita de que os funcionários estão envolvidos no esquema de corrupção", declarou a ministra, apontando que os criminosos "são de alta periculosidade". Inicialmente, a Pérez citou 91 fugitivos, mas o número foi atualizado, mais tarde, para 75, pela procuradora Reinalda Palacios.

 

"Fizeram um túnel como vemos nos filmes, com iluminação interna, que começou em um dos banheiros das celas", detalhou a delegada. "São apenas 25 metros entre o túnel e a guarita (do guarda) mais próxima. Apenas uma pessoa não conseguiu escapar", completou.  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade