Mundo

Washington renova isenções a programas nucleares civis no Irã

Projetos nucleares sem risco de proliferação estão liberados por mais 60 dias

Agência France-Presse
postado em 30/01/2020 19:02

EUA garantem que estão supervisionando os programas iranianosO governo de Donald Trump estendeu nesta quinta-feira (30) as isenções às suas sanções contra o Irã que autorizam os programas nucleares civis, ao mesmo tempo em que anunciou medidas punitivas contra a Organização de Energia Atômica do país (OEAI).

"Os Estados Unidos renovam por 60 dias quatro isenções sobre o Irã, que permitem a realização de projetos sem risco de proliferação, e enquadram a atividade nuclear iraniana", anunciou em coletiva de imprensa em Washington o enviado americano para a política iraniana, Brian Hook.

"Vamos supervisionar tudo de perto", advertiu, assegurando que o chefe da diplomacia americana, Mike Pompeo, pode "por fim a estes projetos" a qualquer momento caso não se cumpra o estabelecido.

Apesar de sua "campanha de pressão máxima" contra Teerã que levou Washington a sair, em 2018, do acordo nuclear iraniano, o governo Trump renova regularmente estas isenções sem dar muita publicidade.

Estas dizem respeito sobretudo à usina de Bouchehr, a planta de Teerã destinada à pesquisa, assim como ao reator de água pesada de Arak, modificado sob controle da comunidade internacional para tornar impossível a produção de plutônio para uso militar.

Perguntado sobre as possíveis contradições entre esta extensão e as severas sanções impostas por Washington a Teerã, Brian Hook assegurou que se trata de negar à República Islâmica qualquer necessidade de enriquecer urânio para além dos limites previstos no acordo de 2015.

O Irã, no entanto, já começou a desobedecer o tratado, em represália à pressão dos Estados Unidos.

Para demonstrar que o governo americano siga com sua política de pressão sobre Teerã, Hook anunciou sanções contra a OEAI e seu chefe, Ali Akbar Salehi, acusado de ter "desempenhado um papel importante no descumprimento do Irã de seus compromissos nucleares chave, ao exceder os limites do armazenamento de urânio e o nível de enriquecimento".

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação