Publicidade

Correio Braziliense

Embates com Boris Johnson levam à saída de ministro das Finanças

Sajid Javid anunciou sua saída duas semanas após o Brexit e um mês antes da apresentação do orçamento anual do governo


postado em 13/02/2020 10:14

O porta-voz de Javid confirmou que ele sairia assim que o primeiro-ministro Boris Johnson realizou a primeira remodelação de seu gabinete desde que conquistou a maioria parlamentar nas eleições de dezembro.(foto: Tolga AKMEN / AFP)
O porta-voz de Javid confirmou que ele sairia assim que o primeiro-ministro Boris Johnson realizou a primeira remodelação de seu gabinete desde que conquistou a maioria parlamentar nas eleições de dezembro. (foto: Tolga AKMEN / AFP)
O ministro britânico das Finanças, Sajid Javid, abalou o Executivo de Boris Johnson nesta quinta-feira (13/2), ao anunciar sua inesperada renúncia, duas semanas depois do Brexit e um mês antes da apresentação do orçamento anual do governo.

Imediatamente depois, Downing Street divulgou o nome de seu substituto, Rishi Sunak, que desde julho de 2019 era secretário-chefe do Tesouro. Na prática, o posto corresponde ao número dois desta mesma pasta.

Javid deixa a função no momento em que o premiê conservador realiza uma reestruturação de seu gabinete, uma reorganização com a qual o agora ex-ministro divergia, esclareceu seu porta-voz.

Segundo uma fonte ligada a Javid e citada em matéria da agência britânica de notícias Press Association, Boris determinou que ele demitisse todos os membros de sua equipe de assessores, medida à qual se opôs.

Esta decisão foi anunciada após dias de rumores sobre as crescentes tensões entre o ministro das Finanças e o assessor especial de Johnson, Dominic Cummings.

Nesta quinta, o premiê britânico divulga a primeira reestruturação do Executivo desde que ganhou as eleições legislativas antecipadas de dezembro com ampla maioria.

Além de secretários de Estado de perfil mais baixo, Johnson substituiu o responsável para a Irlanda do Norte, Julian Smith. O inesperado movimento se deu poucas semanas após conseguir reinstaurar as instituições semiautônomas da província, depois de mais de três anos de bloqueio.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade