Publicidade

Correio Braziliense

Golfinhos têm sido mortos a tiros nos EUA; autoridades buscam serial killer

Os corpos de dois golfinhos foram encontrados com ferimentos em praias da Flórida. Especialistas encontraram uma bala dentro de um deles


postado em 14/02/2020 16:49 / atualizado em 14/02/2020 17:06

Um dos golfinhos encontrados na semana passada na Flórida(foto: Florida Fish and Wildlife Conservation Commission)
Um dos golfinhos encontrados na semana passada na Flórida (foto: Florida Fish and Wildlife Conservation Commission)


Atenção: abaixo, esta matéria contém imagem que pode ser perturbadora para algumas pessoas

A Administração Oceânica e Atmosférica Nacional (NOAA, na sigla em iglês), órgão ambiental ligado ao Departamento de Comércio dos Estados Unidos, emitiu um comunicado no qual oferece uma recompensa de US$ 20 mil para quem fornecer informações que levem à identificação da pessoa ou do grupo de pessoas que aparentemente está assassinando golfinhos na Flórida.

Na semana passada, dois golfinhos-nariz-de-garrafa foram encontrados na costa do estado norte-americano, mortos com perfurações causadas provavelmente por tiros ou algum objeto pontiagudo. São dois casos mais recentes que se juntam a outros 27 semelhantes registrados na região desde 2002, o que levou as autoridades a acreditar em uma ação premeditada, como se o estado tivesse uma espécie de "serial killer" de golfinhos.

O primeiro golfinho encontrado na semana passada apareceu na praia de Naples, com um ferimento perto do focinho que se assemelhava ao provocado por um disparo de arma de fogo. Dias depois, outro animal morto surgiu em Pensacola Beach e, neste, veterinários encontraram uma bala alojada em seu corpo.

Atenção: a imagem abaixo pode perturbar algumas pessoas

(foto: Florida Fish and Wildlife Conservation Commission)
(foto: Florida Fish and Wildlife Conservation Commission)


O motivo dos ataques não é conhecido, mas a NOAA afirma que o hábito de alimentar os animais pode facilitar esses ataques. Isso porque os animais começam a perceber os barcos como uma fonte de alimento e se aproximam, o que os torna alvos fáceis de pessoas mal intencionadas. 

"Biólgos acreditam que esses casos podem se originar da prática de humanos alimentando os golfinhos. Esses animais passam a associar pessoas e barcos com comida, o que os coloca em situações perigosas", escreve a administração no comunicado.

Nos Estados Unidos, maltratar, caçar, matar ou alimentar golfinhos selvagens é considerado crime. A punição é de multa, que pode chegar a U$ 100 mil e até um ano de prisão por cada violação.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade