Publicidade

Correio Braziliense

Surdos argentinos abusados pedem justiça e reparação ao papa

Vítimas querem uma reunião com o papa durante sua estadia em Roma, de 20 a 22 de fevereiro


postado em 20/02/2020 17:07

Dois padres foram condenados na Argentina a mais de 40 anos de prisão por conta do caso(foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Dois padres foram condenados na Argentina a mais de 40 anos de prisão por conta do caso (foto: Ed Alves/CB/D.A Press)
Emocionadas, as vítimas surdas argentinas de abuso sexual cometido por padres lançaram nesta quinta-feira na praça São Pedro um grito de dor e raiva para reivindicar a seu compatriota, o papa Francisco, justiça e reparação pelo horror experimentado. 

 

"Sofremos muito. Preciso de uma lei que force o Vaticano a não encobrir mais. Os surdos sofreram abuso de padres e precisamos que isso mude", disse Daniel Sgardelis, de 45 anos, à imprensa em linguagem gestual pouco antes de chegar à praça São Pedro. 

 

Em novembro, dois padres foram condenados na Argentina a mais de 40 anos de prisão por abuso sexual e estupro de crianças surdas em um internato em Mendoza

 

Os surdos vítimas de abuso sexual durante a infância nos institutos católicos da Argentina lutam para que seu drama não se repita em outras partes do mundo. 

 

"Por que viemos a Roma? Para acabar com os abusos em todos os lugares", disse Villalonga, o caçula, que carregava um pôster com o retrato de seu abusador. 

 

As vítimas solicitam uma reunião com o papa durante sua estadia em Roma, de 20 a 22 de fevereiro. 

 

A solicitação, contudo, que não teve resposta pública ou privada, o que causa indignação e decepção. 

 

"Estamos muito decepcionados", reconhece Erica Labeguerie, que narrou com a voz embargada a jornada de sua família e para entender o drama de sua irmã. 

 

"Essa luta é para que outros quebrem o silêncio. As evidências não estão ocultas, para o Vaticano colaborar", diz. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade