Publicidade

Correio Braziliense

Migração da América Central para EUA registra queda de 75%

O anúncio foi feito na Conferência Regional de Segurança dos países do Triângulo Norte da América Central


postado em 21/02/2020 09:50

(foto: David Ryder / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP)
(foto: David Ryder / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP)
A migração dos países do norte da América Central para os Estados Unidos foi reduzida em mais de 75% desde maio passado, informou nesta quinta-feira o secretário interino de Segurança americano, Chad Wolf, em Honduras.

Desde maio de 2019, "o escritório de Alfândega e Proteção de Fronteiras dos Estados Unidos registrou uma redução de mais de 75% no fluxo de migração irregular novamente na fronteira sudoeste" com o México, disse o funcionário em um discurso em Honduras.

Wolf participou nesta quinta-feira com os Ministros de Segurança dos países do Triângulo Norte da América Central (Guatemala, El Salvador e Honduras), além da Costa Rica e Panamá, na XII Conferência Regional de Segurança.

O funcionário acrescentou que os esforços entre os Estados Unidos e os países da América Central para melhorar a segurança e a prosperidade econômica são positivos.

Wolf estimou que os esforços conjuntos resultaram na redução das taxas de homicídios nos países da América Central e disse que a Corporação Internacional de Financiamento ao Desenvolvimento, uma instituição pertencente ao Banco Mundial, está comprometida em apoiar o crescimento econômico da região.

Os migrantes que partiram em caravanas de Honduras no final de 2018 e no início de 2019 e 2020 argumentaram que estavam fugindo da insegurança e da falta de oportunidades nos países do norte da América Central.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade