Publicidade

Correio Braziliense

Japão diz que por erro 23 passageiros deixaram cruzeiro sem ter feito teste

A notícia surgiu depois que uma japonesa que havia deixado o navio na última quarta-feira foi confirmada com o vírus após ter voltado para casa


postado em 22/02/2020 16:41

Tóquio, Japão -Mais de 100 passageiros receberam autorização para desembarcar do cruzeiro Diamond Princess neste sábado (22), após o ministro da Saúde do Japão ter se desculpado pela liberação de outros 23 que tinham deixado o navio sem ter sido devidamente submetidos aos testes de contaminação. 

A notícia surgiu depois que uma japonesa que havia deixado o navio na última quarta-feira foi confirmada com o vírus após ter voltado para casa, em Tochigi Prefecture, segundo a agência Kyodo.

Ela é a primeira pessoa a ter resultado positivo para o teste do novo coronavírus entre o grupo de aproximadamente 970 passageiros que desembarcaram nesta semana, segundo informações. 

Durante uma coletiva de imprensa neste sábado, o ministro japonês Katsunobu Kato se desculpou pelos 23 passageiros que foram autorizados a deixar o cruzeiro sem serem submetidos a todos os testes necessários. 

"Nós lamentamos profundamente que o nosso erro operacional tenha causado essa situação", declarou Kato, acrescentando que os passageiros farão novamente os testes.  

Os 100 passageiros que deixaram o cruzeiro nesta sábado estiveram em contato com pessoas infectadas a bordo, de acordo com a imprensa japonesa.  

Eles faziam parte do último grupo de passageiros japoneses a deixar o navio, enquanto alguns estrangeiros permanecem a bordo esperando que seus governos venham resgatá-los.  

Segundo as autoridades, o grupo que deixou o navio neste sábado ficará em quarentena por duas semanas em local próximo a Tóquio. 

Das 3.711 pessoas que estavam inicialmente a bordo do navio, mais de 630 contraíram o coronavírus que apareceu pela primeira vez em dezembro na China e depois se espalhou para vários países, especialmente na Ásia.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade