Publicidade

Correio Braziliense

ONU pede que israelenses e palestinos permitam uma solução de dois Estados

Tensão aumentou na região nos último dias após o assassinato de três combatentes Jihad Islâmica Palestina na Faixa de Gaza e na Síria


postado em 24/02/2020 18:03

Conflito dura há décadas na região(foto: MOHAMMED ABED / AFP)
Conflito dura há décadas na região (foto: MOHAMMED ABED / AFP)
O Conselho de Segurança da ONU pediu nesta segunda-feira a israelenses e palestinos para manter a viabilidade de uma solução de dois Estados para resolver seu conflito, abstendo-se de qualquer ato contrário a essa possibilidade.

 

"Os membros do Conselho de Segurança reafirmam seu apoio a uma solução negociada em favor de dois Estados", Israel e Palestina, segundo declaração apresentada pela Bélgica, que ocupa em fevereiro a presidência rotativa dessa instância, aprovada por seus 14 parceiros, incluindo os Estados Unidos.

 

Esse apoio é baseado "nas resoluções pertinentes e precedentes da ONU, de acordo com o direito internacional", para que "dois Estados democráticos, Israel e Palestina, coexistam em paz e segurança em fronteiras reconhecidas", acrescentou o texto publicado após uma reunião fechada sobre o Oriente Médio.

 

"Todas as partes devem evitar minar a viabilidade da solução de dois Estados para manter a perspectiva de uma paz justa, global e duradoura", aponta o comunicado, referindo-se implicitamente à recente promessa de Israel de construir milhares de casas em Jerusalém Leste, uma área reivindicada pelos palestinos.

 

O Conselho de Segurança enfatizou a necessidade de "esforços coletivos para iniciar negociações credíveis" sobre todas as questões relacionadas ao processo de paz e mostrou sua "preocupação" com a violência contra civis.

 

Esta declaração surge após dois dias de tensões, durante os quais a organização armada da Jihad Islâmica Palestina lançou foguetes contra Israel, após o assassinato de três de seus combatentes na Faixa de Gaza e na Síria.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade