Publicidade

Correio Braziliense

UE pede a Londres cumprimento das promessas antes negociação comercial

Londres e Bruxelas devem tentar alcançar um acordo de livre comércio até 31 de dezembro de 2020


postado em 25/02/2020 11:43

Negociador Michel Barnier vai liderar novamente as discussões em nome dos 27 países europeus(foto: Kenzo TRIBOUILLARD/AFP)
Negociador Michel Barnier vai liderar novamente as discussões em nome dos 27 países europeus (foto: Kenzo TRIBOUILLARD/AFP)
A União Europeia (UE) pediu nesta terça-feira ao Reino Unido o cumprimento das promessas no âmbito do Brexit, ante o início iminente da negociação sobre a futura relação comercial depois que as duas partes estabeleceram seus limites.

 

"A aplicação dos acordos já alcançados é um teste de boa-fé e confiança e, sem estas, construir uma futura relação não será fácil", disse o ministro das Relações Exteriores da Irlanda, Simon Conveney, em Bruxelas.

 

O Reino Unido encerrou em 31 de janeiro 47 anos de adesão ao projeto de integração que surgiu após a Segunda Guerra Mundial e, agora, deve negociar com os ex-27 sócios a futura relação comercial.

 

Ante da negociação, que deveria começar na segunda-feira em Bruxelas, segundo uma fonte do governo britânico, o receio dos europeus com o antigo sócio aumenta, assim como os apelos para que Londres cumpra suas promessas.

 

O governo britânico já teve que desmentir na segunda-feira a informação do jornal Sunday Times de que Londres buscava uma maneira de "desobedecer" o protocolo sobre a Irlanda do Norte, incluído no acordo de divórcio.

 

"Minha mensagem a nossos amigos em Londres é clara: cumpram suas promessas", afirmou o ministro alemão para Assuntos Europeus, Michael Roth, antes de aprovar ao lado de seus colegas o mandato de negociação comercial da UE.

 

Com a aprovação, o bloco está pronto para negociar a futura relação com o Reino Unido. O negociador da Comissão Europeia, Michel Barnier, vai liderar novamente as discussões em nome dos 27 países europeus.

 

As discussões prometem ser difíceis. "A pressão do tempo é imensa e os interesses são enormes", disse o chanceler holandês, Stef Blok, que citou um "caminho difícil pela frente".

 

Londres e Bruxelas devem tentar alcançar um acordo de livre comércio até 31 de dezembro de 2020, um processo que geralmente leva anos, o que na prática deixa apenas oito meses para as negociações.

 

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, cujo país continua a cumprir as normas da UE até esta data, já reiterou sua recusa a prorrogar o período de transição, aumentando a pressão sobre a UE.

 

"O principal objetivo do Reino Unido é garantir que vamos restaurar nossa independência econômica e política em 1º de janeiro de 2021", disse o porta-voz do governo ao anunciar a adoção das diretrizes britânicas de negociação.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade