Mundo

Emergência nos EUA

Correio Braziliense
Correio Braziliense
postado em 14/03/2020 04:15


O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou, ontem, estado nacional de emergência no país, liberando US$ 50 bilhões em fundos federais para o combate à pandemia de coronavírus, em rápida expansão. Até a tarde de ontem, a Covid-19 havia infectado mais de 1,7 mil pessoas nos EUA, com 41 mortes.

Trump convocou todos os estados norte-americanos a criar centros de operações de emergência e disse que o governo está acelerando os testes, em meio a críticas à falta de kits de exames em todo o país.

A emergência nacional também confere uma ampla autoridade ao secretário de Saúde dos EUA para renunciar a uma série de regulamentos, inclusive permitindo que hospitais contratem mais funcionários para suas equipes.

As autoridades americanas foram criticadas por terem demorado a fornecer kits de teste, o que, segundo especialistas em saúde, teria permitido que o vírus se espalhasse além da capacidade do país de detectá-lo.

Também ontem, Washington convocou o embaixador da China, Cui Tiankai, depois que uma alta autoridade em Pequim publicou um tuíte sugerindo que os militares americanos iniciaram a pandemia do novo coronavírus, informou o Departamento de Estado.

David Stilwell, o principal diplomata americano na Ásia, apresentou uma manifestação severa ao representante da diplomacia chinesa nos EUA, um dia depois que o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Zhao Lijian, tuitou o que foi considerado uma teoria da conspiração.

;Pode ser que um militar dos EUA tenha trazido a epidemia para Wuhan. Seja transparente! Torne públicos seus dados! Vocês nos devem uma explicação;, tuitou Zhao, conhecido por suas declarações provocadoras nas mídias sociais. Os cientistas, de modo geral, acreditam que a pandemia começou em um mercado em Wuhan que vendia animais exóticos para consumo.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação