Publicidade

Correio Braziliense

Unesco anuncia coalizão para garantir a educação durante o coronavírus

De acordo com a organização, 87% da população estudantil do mundo foi afetada pelo fechamento das escolas em consequência da COVID-19


postado em 26/03/2020 15:34 / atualizado em 26/03/2020 16:04

(foto: Divulgação/ONU)
(foto: Divulgação/ONU)
Paris, França - A Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura) lançou nesta quinta-feira uma coalizão mundial para assegurar a educação à distância dos mais de 1,5 bilhão de alunos de 165 países afetados pelo fechamento de escolas devido à pandemia do coronavírus.

"Nunca antes havíamos sido testemunhas de um transtorno educativo de tal magnitude", afirmou a diretora geral da Unesco, Audrey Azoulay, em um comunicado.

De acordo com a organização, 87% da população estudantil do mundo foi afetada pelo fechamento das escolas em consequência da COVID-19.

"Esta coalizão constitui um apelo à ação coordenada e inovadora para descobrir soluções que ajudem os alunos e os professores (...) dando uma atenção especial à inclusão e à equidade", destacou a organização com sede em Paris.

A coalizão se propõe a "ajudar os países a mobilizar recursos e aplicar soluções inovadoras e adaptadas ao contexto para oferecer educação à distância, encontrar soluções equitativas e apresentar respostas coordenadas", completou a Unesco.

Várias organizações multilaterais, incluindo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Programa Mundial de Alimentos se uniram à coalizão.
 

Também se uniram à iniciativa o setor privado, em particular Microsoft, Google e Facebook, que "aportam recursos e conhecimentos especializados em termos de tecnologia, conectividade e fortalecimento de capacidade", e organizações filantrópicas.

"Devemos acelerar os meios de trocar experiência e ajudar os mais vulneráveis, tenham ou não acesso à internet”, destacou a atriz Angelina Jolie, Enviada Especial do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, que colaborou com a Unesco para a criação da coalizão.


  

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade