Publicidade

Correio Braziliense

Moradores destroem centro contra coronavírus na Costa do Marfim

Moradores de um bairro da classe trabalhadora da cidade de Abidjan destruíram um centro de testes de coronavírus que estava em construção


postado em 06/04/2020 09:51

Manifestantes fazem barricada em uma estrada durante confrontos com a polícia antimotim da Costa do Marfim em uma manifestação contra a construção de um centro de rastreamento de coronavírus em seu bairro em Yopougon, subúrbio de Abidjan.(foto: ISSOUF SANOGO / AFP)
Manifestantes fazem barricada em uma estrada durante confrontos com a polícia antimotim da Costa do Marfim em uma manifestação contra a construção de um centro de rastreamento de coronavírus em seu bairro em Yopougon, subúrbio de Abidjan. (foto: ISSOUF SANOGO / AFP)
Os moradores de um bairro operário de Abidjan, na Costa do Marfim, destruíram violentamente, neste domingo (5/4), um centro em construção para a luta contra a pandemia do novo coronavírus, informaram comandos policiais e o ministério da Saúde.

Em vídeos que circulam pelas redes sociais, dezenas de pessoas aparecem desmontando uma barraca em obras. Alguns gritavam, "Não queremos!" 

Os fatos ocorreram em uma grande praça de Yopougon, em Abidjan, capital econômica do país, com uma população de cinco milhões de habitantes.

"A população se manifestou contra a instalação de um centro contra o coronavírus porque avalia que está perto demais de uma área residencial", explicou à AFP um comando policial que pediu para ter sua identidade preservada.

O edifício, ainda em construção, não foi concebido como um centro de tratamento dos doentes, mas um "centro de testes", afirmou um funcionário do ministério da Saúde, que também pediu o anonimato.

Esta é a primeira vez que se manifestam incidentes relacionados à pandemia de Covid-19 na Costa do Marfim, país da África ocidental pouco afetado, segundo o balanço oficial (no domingo havia 261 casos e três mortes).

No entanto, as autoridades marfinenses temem uma expansão da epidemia e estão aumentando a capacidade de atenção.

Foram tomadas medidas estritas para combater a pandemia: quarentena em Abidjan, isolada do resto do país, toque de recolher noturno em todo o território, fechamento de todas as lojas não essenciais, colégios e locais de culto, proibição de reuniões. Por enquanto, não há confinamento.

O governo anunciou na terça-feira um plano de apoio global, equivalente a 2,6 bilhões de euros (2,8 bilhões de dólares) para fazer frente às consequências econômicas e sociais da pandemia. Prevê que o crescimento encolherá pela metade, a 3,6% em 2020.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade