Mundo

Presidente do México critica ajuda de traficantes no combate à Covid-19

López Obrador disse que esses gestos dos bandidos não servem ao país, atormentado pela violência do narcotráfico, e que o verdadeiro apoio seria não se envolver em atividades criminosas

Agência France-Presse
postado em 20/04/2020 21:03
López Obrador disse que esses gestos dos bandidos não servem ao país, atormentado pela violência do narcotráfico, e que o verdadeiro apoio seria não se envolver em atividades criminosasOs atos de generosidade se multiplicam diante da nova pandemia de coronavírus, mas isso tem limites para o presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, que nesta segunda-feira (20) criticou a entrega de alimentos por quadrilhas do crime organizado.

López Obrador disse que esses gestos dos bandidos não servem ao país, atormentado pela violência do narcotráfico, e que o verdadeiro apoio seria não se envolver em atividades criminosas.

"Ajudam ao parar com a delinquência, ao amar o próximo e a não prejudicar ninguém. Ajudam ao acabar com os confrontos e mortes", disse o presidente numa entrevista coletiva.

"Não se trata de filantropia. Trata-se de fraternidade, verdadeira solidariedade", acrescentou.

[SAIBAMAIS]O presidente mencionou, assim, a distribuição de alimentos pelos cartéis de drogas, divulgada recentemente pela imprensa local nos estados de Tamaulipas (nordeste) e Jalisco (oeste), onde o Cartel do Golfo e o Cartel Jalisco Nova Geração operam.

Mas também por iniciativa de Alejandrina Guzmán, filha do famoso capo Joaquín "Chapo" Guzmán, que na semana passada distribuiu alimentos e provisões com o nome e a imagem de seu pai para idosos de Jalisco, isolados em suas casas para evitar infecções.

;El Chapo; cumpre pena de prisão perpétua nos Estados Unidos.

"Que eles não venham (...) como o potentado que pensa que com uma esmola já está perdoado", disse López Obrador.

O presidente enfatizou que, diante desses casos, as autoridades não podem fazer nada.

"É algo que acontece, não pode ser evitado porque eles chegam e entregam".

O presidente sustentou que seu governo manterá o apoio aos mais vulneráveis por meio de seus diferentes programas sociais para enfrentar a crise econômica e de saúde, surgida com a pandemia da COVID-19.

O México registra 8.261 casos confirmados e 646 mortes de COVID-19, segundo o governo.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação