Mundo

Afegão mata irmã que negou pedido de casamento arranjado

Grande parte da sociedade afegã é governada por um código tradicional muito rigoroso que muitas vezes impede as mulheres de escolher um marido ou ter acesso à educação

Agência France-Presse
postado em 05/05/2020 15:04
Grande parte da sociedade afegã é governada por um código tradicional muito rigoroso que muitas vezes impede as mulheres de escolher um marido ou ter acesso à educaçãoUm soldado matou sua irmã depois que ela se recusou a se submeter a um casamento arranjado pela família, informou a polícia nesta terça-feira, no que parece ser um novo "crime de honra" no Afeganistão.

A vítima de 18 anos foi esfaqueada no distrito de Baharak, na província de Badakhshan (nordeste), disse à AFP o porta-voz da polícia da província, Sanaullah Rohani. "Seu irmão então fugiu para uma área controlada pelo Talibã", acrescentou, indicando que a polícia estava tentando detê-lo.

Asifa Karimi, ativista dos direitos das mulheres em Badakhshan, confirmou o assassinato, acrescentando que a vítima queria se casar com um homem que amava.

"Ela rejeitou o pedido de casamento [apoiada por] sua família e foi à polícia" em busca de proteção, explicou Karimi. Mas as forças de segurança "a devolveram à família", lamentou.

Seu irmão, um soldado, "a levou para casa" e depois "a matou brutalmente em um caso de crime de honra", denunciou Asifa Karimi.

Grande parte da sociedade afegã é governada por um código tradicional muito rigoroso que muitas vezes impede as mulheres de escolher um marido ou ter acesso à educação.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação