Mundo

Ao menos 25 corpos são encontrado em cova clandestina no México

Também foram encontrados cinco sacos nos quais se presume que possam haver mais restos humanos

Agência France-Presse
postado em 10/05/2020 14:27
Também foram encontrados cinco sacos nos quais se presume que possam haver mais restos humanosGuadalajara, México - Os restos mortais de pelo menos 25 pessoas foram encontrados em uma cova clandestina nos arredores da cidade de Guadalajara, no oeste do México, informou neste domingo a promotoria de Jalisco.

Os trabalhos de busca na fossa, localizada pelas autoridades na quinta-feira, permitiu "extrair os restos de 25 pessoas não identificadas, além de cinco sacos nos quais se presume que possam haver mais restos humanos", disse a agência em comunicado.

Moradores da região relataram que um cachorro havia encontrado ossos numa fazenda abandonada em um bairro de classe baixa no município de El Salto, ao sul de Guadalajara, a segunda maior cidade do México.

O incidente foi relatado à polícia local, que por sua vez informou para a promotoria. Com o apoio de bombeiros e equipe canina especializada em busca de restos mortais e escavações no solo, o trabalho começou na quinta-feira, de acordo com as autoridades.

Essas tarefas "continuarão nos próximos dias até que os investigadores descartem a presença de mais evidências na fazenda", disse a promotoria. Os corpos e as malas com provas foram levados ao necrotério local para exames.

Neste ano, cerca de 115 corpos foram localizados em pelo menos 10 túmulos clandestinos em Jalisco, a maioria deles nos arredores de Guadalajara. O estado vem registrando crescente violência há mais de cinco anos devido à presença do poderoso cartel de tráfico de drogas Jalisco Nueva Generación (CJNG).

[SAIBAMAIS]Segundo as autoridades, desde março de 2017 a violência foi acentuada devido a uma divisão na CJNG, que também rivaliza com outras gangues no estado vizinho de Guanajuato pelo controle do tráfico de combustíveis roubados, um crime em ascensão nos últimos anos.

A violência ligada ao crime organizado não caiu no México, apesar do confinamento devido à pandemia da covid-19. Segundo os dados , em março foram registrados 3.000 assassinatos e 78 feminicídios, o número mais alto até agora no governo de Andrés Manuel López Obrador.

Além disso, mais de 60.000 pessoas estão desaparecidas, a maioria delas desde o lançamento, no final de 2006, de uma estratégia militarizada para combater o crime organizado.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação